Arquivo da tag: trendy

Ciganinha a blusa da vez.

Entrando na onda da ciganinha ou decote ombro à ombro como hoje é conhecido nas lojas .

Peça democrática que veste bem qualquer tipo físico e faz combinações maravilhosas com saias , shorts , calças , pantacourt etc.

Dicas de como fazer uma ciganinha :

  • Prepare uma base com suas medidas.
  • Desenhe a cava raglan .
  • Recorte nas cavas novas.
  • Acrescente 8 cm no meio ( fio ) da frente e costas para volume ( onde passaremos elástico ou tira para reduzir o volume dado anteriormente ).
  • Recorte a manga pelo meio ( fio ) e acrescente 8 cm para o volume.

Agora encaixe no tecido, corte e marque as costuras .

Costure as cavas reglan e feche as laterais .

O elástico para o decote deve ter : 2/3 da medida do decote mais 10 cm.

Unir as pontas do elástico e prendê-lo ao decote na máquina de costura , distribuindo por igual ao redor do decote , depois passe o overloque para não desfiar. revire e pesponte na máquina .

Faça o mesmo nas mangas.

Barra : revire 0.5 cm mais 0.5 cm e costure na máquina.

Se preferir pode fazer uma tira com 1.80m e ao invés do elástico; fazer um caseado depois uma barra de 1 cm e costurar e passar a tira com um passador de de elástico (aparelho) .

Você pode substituir as mangas por um babado largo que pegue de ombro à ombro e somente depois passar o elástico ou a tira para dar o franzido, ou ainda dar assimetria ao babado , aplicar rendas dando um estilo romântico a peça .

Ou ainda siga os esquemas abaixo :

blusa blusa-2

bl-ciganinha-com-bbdo-decote

bl-com-renda-e-tira-no-decote

*

Por Vilma Arantes, professora do Núcleo de Modelagem da Sigbol Fashion.

Referências: 1, 2 e 3

Cintura Marcada verão 2017 internacional.

Nos desfiles internacionais de verão 2017, a cintura marcada apareceu em várias marcas. Para acentuar as curvas femininas uma espécie de corset retornou ao guarda-roupa. Outra opção para dar efeito acinturado ao look é o uso de cintos largos.

untitled-1

foto-1

foto-2

foto-6

Os cintos largos ajustam a silhueta dos vestidos, calças e camisas. A proposta é pra todos os estilos, seja ele minimalista. Boho, romântico ou esportivo. Esse acessório pode ser do mesmo tecido que a peça ou de couro, o importante é afinar a silhueta, deixando o visual um pouco mais feminino.

foto-7

foto-8 foto-9

foto-10  foto-12

foto-13

*

Por Elizangela Gomes, professora no Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, ,14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21 e 22

VERY, VERY BLACK!

Preto, couro e uma pitada kitsch dos anos 80 definem a primeira coleção Spring 2017 do estilista  Anthony Vaccarello para a Saint Laurent, após a saída de Hedi Slimane da direção criativa.
A transição de designers foi muito acertiva e a identidade da nova Saint Laurent foi preservada. A antiga Yves Saint Laurent era voltada para uma mulher mais madura, clássica e elegante. Now, aposta numa compradora jovem e ousada.
Vaccarello reavivou os 80’s com lamês, muito couro e mangas bufantes. O que eram aquelas transparências ousadíssimas?! Quase um topless na passarela! Tudo ultra-justo e super-curto.
Cores? Preto, preto, preto. Eis que surge um top branco (surpresa total), um tom militar em jaquetas (meio-jacquard) e uma blusa alaranjada em estampa de onça. Era necessário!
Onde está a essência do criador Yves nesta mistura? Anthony aposta em releituras do smoking, peça ícone do mestre. Lindo!

_ysl0031 _ysl0247 _ysl0333 _ysl0373 _ysl0469 _ysl0577 _ysl0671 _ysl0767 _ysl0799 _ysl0871 _ysl1077

*

Por Danilo Centemero, empresário, estilista, Visual Merchandiser e docente na Sigbol Fashion.

Referências: 1

Moda upcycling: o futuro!

museu-alemanha

A técnica de se reutilizar roupas velhas ou sobras de materiais em novas criações tem sido um fenômeno recorrente na alta costura, por marcas já estabelecidas, como a “Margiela”, “Comme des Garçons” e “Jessica Ogden”. O que acontece nesse processo de reutilização de material pelas grandes grifes, é que a matéria-prima (re)modelada pelas mãos de um designer/estilista, é carregada de um novo um valor simbólico, tornando-se objeto de um status mais elevado, muitas vezes maior do que a criação original.

Estas novas peças de vestuário prolongam o ciclo de vida do material, que ao invés de ser descartado, são reaproveitadas.

O processo de confecção de uma roupa gera sobras de tecidos, que são incinerados ou descartados em aterros sanitários depois que a sua vida útil se esgota, bem como peças confeccionadas que chegam ao final do seu ciclo de vida, seja na cadeia do varejo ou nas mãos do consumidor.

1  foto 4

O processo de “upcycling” consiste na criação de novas modelagens, recortes e formas de costurar, criando peças únicas trazendo ao mercado o que se refere à reutilização de uma peça de vestuário, em que a sua qualidade se mantém ou é aumentada pelo processo em que é submetida, tornando-o mais atrativo. É o fazer novo do velho e criar diversidade usando  peças únicas usando o design em vez de reciclagem e  uma das formas de contribuição para se pensar um novo consumo de moda.

2ddbe207e9dfb9f9fc7d3e9a3f2b2898ce4e627d86057496ba5e9d00b1f02333

tumblr_mnd6ffruEH1rgdu9io1_500

*

Por Mayara Behlau, professora do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Referências: 1 e 2

 

UAU! Setentinha e Ganesha!

A coleção Spring 2017 da Moschino veio com atmosfera hippie, no melhor estilo anos 70, com direito a inspiração indiana.

Que mistura?!

Jeremy Scott, designer da marca, pontuou no backstage que queria “apenas” uma coleção divertida. Sucesso! Até um pouco kitsch. Bem proposital, claro. Crochês “a la” Janis Joplin, jaquetas bomber, rendas, vestido com manga quimono, paetês, calças boca de sino (atual flare) e muita, mas muita estampa. Leopardos, onças, geométricas, tie dye e uma pegada colcha de retalhos. Total 60/70. Excessivo, mas divertido. Cores? Todas: azuis, vermelhos, laranjas, preto, amarelos e até o rosa-choque-barbie.

O ponto alto foram as estampas localizadas com desenhos infantis, que têm potencial para virar hit. Eu quero uma. Ursinho com pegada indiana! Jeremy sempre resgata a essência da marca: a irreverência um tanto quanto excêntrica. MOSCHINO!

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14

*

Por Danilo Centemero, estilista, empresário e professor de Visual Merchandising e Vitrine da Sigbol Fashion.

Referências: 1