Arquivo da tag: tecidos

Tecidos Orgânicos

Imagem 1

A cada ano nos preocupamos mais em saber qual a origem de tudo o que consumimos e qual o impacto que este produto causa à natureza, logo notamos uma busca crescente no consumo de produtos orgânicos. Esse reflexo é notado também no mundo da moda, afinal, infelizmente não podemos esquecer que este é um dos setores mais poluentes que existe na terra. Além de utilizarem uma infinidade de produtos químicos na produção têxtil, o consumo é exageradamente acelerado.

Imagem 2

Tecidos orgânicos são tecidos saudáveis, em sua maior parte eles são antialérgicos e isso oferece mais comodidade e segurança aos consumidores.

Imagem 3

Os fios orgânicos não contêm agrotóxicos nem pesticidas em sua produção, sendo assim não comprometem o solo, a água e o ar, logo os animais e produtores também não são afetados.

Além dessas vantagens os tecidos orgânicos consomem de 30% a 50% menos energia em sua produção e irão ter uma durabilidade maior por não conter produtos corrosivos e isso acaba resultando num desaceleramento no consumo, como as peças duram mais a loucura de comprar e comprar acaba estagnando.

Imagem 4

Dentre os tecidos orgânicos o mais popular é o algodão, a lã, a seda e o cânhamo.

Imagem 5

Entre as desvantagens temos o custo destes produtos que são mais caros, porque a produção é mais baixa, e leva maior tempo para sua finalização e o aspecto do produto é mais irregular, principalmente em sua cor e tamanho e tudo isso implica na produção final.

imagem 6 imagem 7

Muito importante também é salientar que os tecidos orgânicos devem cumprir a regulamentação estipulada pela Associação de Comércio de Orgânicos, é importante verificar se o tecido contém a etiqueta da associação para ter certeza da originalidade do produto.

*

Por Nayara Diniz, professora do Núcleo de Modelagem da Sigbol Fashion.

Referências: 1, 23456 e 7.

A origem da seda

Pra quem não sabe, a seda é uma fibra natural de origem animal usada na indústria têxtil. E é obtida através do casulo do bicho-da-seda, onde o inseto ejeta o fio junto a uma cola chamada sericina. Ela é utilizada para se produzir tecidos leves, cintilantes e macios e pode ser usada  para diversos tipos de modelagem da roupa, como camisas, vestidos, blusas, gravatas, lingeries, etc.

bichinho da seda

Existem muitas lendas sobre a seda, uma delas é que foi descoberta por uma rainha chinesa. Quando a mesma tomava seu chá debaixo de uma amoreira, então um cásulo caiu dentro de sua xícara de chá fervente e soltou um fio.  Sendo assim, a imperatriz chinesa Hsi Ling Shi é venerada como deusa da seda, pois teria inventado o tear utilizado na produção do tecido.

china seda

A indústria da seda existe na China há mais de 5 mil anos e foi mantida em segredo durante muito tempo. Segundo a história, os ovos do bicho-da-seda foram levados para a Europa no início da era cristã, por dois monges. Através dos anos, os sericicultores selecionaram as melhores espécies do inseto. A seda era considerada a mais valiosa mercadoria da China e gerou a famosa rota da Seda, a mais importante rota comercial da época.

seda india

Sendo assim, foi comercializada em diversos continentes. No Império Romano, o tecido era muito apreciado valendo o seu peso em ouro. Na Índia, a seda também é bastante utilizada na confecção de sarees.

seda

Atualmente, apesar de sua produção ser maior, devido ao grande número de maquinários e novas tecnologias, o seu valor ainda é bastante superior, pois se trata de um tecido nobre. Os métodos tradicionais de colheita de seda implicam na morte dos bichinhos, apesar de terem pouco tempo de vida, pois assim a fibra é preservada. Mas hoje existem processos alternativos que preservam os bichinhos, a chamada SEDA DA PAZ.

SEDINHAAA

*

Por Paola Sanguin, professora do núcleo de criação da Sigbol Fashion

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32.

Manual Técnico Dicionário da Moda Sigbol Fashion

Você sabe como os tecidos são feitos?

1

Para saber como os tecidos são feitos, em primeiro lugar é necessário saber o que é fibra têxtil.

Fibra é o material que pode ser transformado em fio, seja ele natural ou sintético, feito por meio de maquinários. Conforme esse material é torcido, ele vai sendo armazenado em bobinas, que depois serão colocadas em um tear que irá entrelaçar os fios e os transformar em tecidos. Ainda existem alguns teares manuais, mas são raros. As grandes fábricas preferem equipamentos modernos e controlados por computador.

2

O tecido na verdade não é branquinho de princípio, ele não tem uma cor definida e ainda possui diversas impurezas, como sementes e outros pequenos detritos. Eles precisam ser lavados e completamente descoloridos, submetidos a banhos com uma variedade de produtos que removem componentes naturais das fibras, como óleos e ceras. Só depois disso é que eles ficam prontos para serem tingidos com produtos químicos e enviados aos fabricantes de roupas e produtos têxteis, a não ser que os produtores desejem trabalhar apenas com tecidos totalmente brancos.

3

A partir daí, os tecidos chegam até as nossas casas em forma de lençol, cortina, tapete, toalhas e principalmente: Roupas. E apesar das cores e os padrões de todos esses produtos serem ditados pelas tendências, às roupas são as que têm mais influência e são apresentadas durante desfiles, chamando atenção para as modelagens, cores e texturas, mostrando o que vai pegar na próxima estação.

4

O nosso curso de Estilo mostra como fazer pesquisas e te ensina a montar uma coleção incrível. Quer aprender?

*

Por Paola Sanguin, professora do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion

Referências: 12345678910 e 11.

Manual Sigbol Fashion Dicionário da Moda e Apostila de Estilo.

TNT : Tecido não Tecido.

O que é Tecido Não Tecido? Qual a finalidade? Que explosão de dúvidas! Mas nós também temos uma explosão de explicação pra você.

Foto 2

O TNT na verdade é a sigla para tecido não tecido, é um tecido classificado como um não tecido. É produzido a partir de firas desorientadas que são aglomeradas e fixadas, não passando pelos processos têxteis mais comuns que são fiação e tecelagem (ou malharia).

Alguns pesquisadores, afirmam que o TNT surgiu no Egito, por volta do ano 2400 a.C.. Mas foi na década de 1950 que começaram a ser instaladas as primeiras fábricas de TNT da América do Norte, México e Europa.

Foto 3

Ele surgiu com a necessidade de simplificar o processo têxtil, desenvolver novos tipos de produtos, reciclar resíduos e fibras têxteis e também uma nova possibilidade de aplicação e desenvolvimento de outras áreas industriais.

Há basicamente dois tipos de TNT, os duráveis e os que não duram, podendo ambos serem produzidos a partir de fibras naturais ou sintéticas.

Foto 4

Esse tipo de tecido é muito barato, por conta da capacidade produtiva. Sem contar que é muito utilizado em artesanato e decorações de festas em geral, pois pode ser encontrado em diversas cores, fora a facilidade com que pode ser trabalhado. No caso da lã, o TNT produzido chama-se feltro.

Mas existem também outros tipos, como tecidos higiênicos, tecidos hospitalares, geotêxteis, etc. No mundo fashion ele também é muito usado, não só em confecções como também na elaboração de novas criações de estilistas.

foto 5

*

Por Paola Sanguin, professora do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Referências: 123456789101112, e Manual Dicionário da Moda Sigbol Fashion.

Renda-se a esta história…

RendaSempre que falamos de renda, nós nos lembramos de romance, delicadeza, casamentos (mimimi). E dependendo da cor, a renda também acaba nos remetendo a sensualidade (uiii) e até mesmo velórios (Tenso)… Mas você sabe quando ela surgiu?

Foto 2

Pra quem não sabe, a renda é um tecido com padrão de aberturas e desenhos, feito à mão ou à máquina. O seu processo de construção é nada mais que fios que formam nós, mantendo-se unidos entre si. Os modelos mais populares que conhecemos são a renda de bilros (Bélgica) e a de agulha (Itália).foto 3

Foi à rainha Catarina de Médici a primeira a usar a renda na corte francesa. Isso acabou causando um consumo totalmente exagerado, os cofres franceses foram quase esvaziados devido aos custos de importação. Teve até de ser proibida pelo rei da frança, o que causou um caos na época. Até que alguém muito esperto descobriu que era melhor produzir do que importar o produto.

Antigamente, a renda já era usada em adornos de cabeça, babados, aventais e enfeites. Mas apenas no século XIX que foi empregada no vestuário completo e guarda-sóis. Antes disso, ela costumava ser produzida em fios de linho, mas o algodão se tornou mais comum.

brasilNo Brasil, a renda foi trazida pelos portugueses e durante muito tempo eram às freiras que teciam alfaias nos conventos, para os altares das igrejas. Tanto no Brasil como em Portugal, atualmente a renda de bilro é feita por mulheres de pescadores em geral. Esse fato é associado à chegada das rendas pelos litorais e por uma antiga lenda que conta que uma mulher de um pescador pegou uma rede de seu marido e começou a fazer desenhos nela.

foto 4Hoje em dia, nem a alta-costura dispensa o uso de uma bela renda, trazendo todo o glamour e delicadeza de suas roupas, porém existem vários tipos e formas. Claro que a gente vai te contar a diferença, mas isso vai ficar para o próximo post.

*

Por Paola Sanguin, professora do núcleo de criação da Sigbol Fashion.

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8.

Manual Sigbol Fashion: Dicionário da Moda, Manual Sigbol Fashion: História da Moda, Livro: Tecidos, história das tramas e tipos de usos (2ª edição).