Arquivo da tag: summer

Roupas com proteção solar!

UV Line é uma marca de moda criada em 2003 como resultado de muitas pesquisas, incluindo estudos de tecidos e consultorias com médicos dermatologistas, que tem características especiais em seus produtos: eles bloqueiam cerca de 98% dos raios UVA e UVB do sol, que são nocivos pra pele, e tem proteção FPU50+.

Sendo assim a primeira empresa latino-americana a comercializar roupas com proteção solar.

E recentemente a marca lançou uma colab com o estilista e stylist Dudu Bertholini.

*

Por Mayara Behlau, professora no Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Referências: 1, 2 e 3

As cores de 2016

Um vinho. Cor que evoca a terra pela característica vermelha e marrom. “Sofisticado, robusto, nutritivo, aterrado.” Estas foram palavras da diretora executiva do Pantone Color Institute para descrever a cor de 2015, marsala.e8302af6178c95d74fa5edcb5f7b4cfe

Ao final de cada ano a Pantone elege uma cor que será predominante e referência de beleza, moda, decoração. E com 2016 não seria diferente, porém o Instituto não só escolheu uma, mas sim duas tonalidades que estarão em alta durante todo esse ano: o rose quartz e o serenity que já vimos aqui.juliapetit1
Segundo a equipe de pesquisadores do Instituto, o fato da tecnologia se tornar parte constante do nosso dia  a dia, 24 horas por dia e sete dias por semana criou uma necessidade de encontrar uma zona de conforto identificada nas cores suaves. A tecnologia consome uma parte tão grande na vida das pessoas que acabamos com essa sensação de querer parar o mundo e sair fora. “Ao mesmo tempo não podemos negar que a tecnologia também abriu muitas portas”, concluiu Leatrice, diretora executiva da Pantone.

Recentemente a Pantone também revelou que não irá mais dividir suas cartelas de cores entre os gêneros, que a partir de agora serão unissex servindo para ambos os sexos. Para acompanhar tal ideia e também as mudanças de uma geração em constante desenvolvimento, as cores selecionadas para representar o ano de 2016 (rosa-quartz e serenity) coincidem com as cores da bandeira de um dos movimentos sociais que lutam pela igualdade de gênero; o movimento transexual.

cropped-bandeira_trans

Além dessas duas cores, foram selecionadas outras 8 (totalizando 10) que circularam pelas passarelas durante os desfiles internacionais de primavera/verão 2016.

Rose Quartz (quartzo rosa) rose

Peach Echo (pêssego echo)

peache

Serenity (serenidade) sere

Snorkel Blue (azul snorkel)

blue

Buttercup (xícara de manteiga)

butt

Limpet Shell (concha do mar) shell

Lilac Gray (cinza lilás)

lilac

Fiesta (festa)fiesta

Iced Coffe (café gelado)coff

Green Flash (verde flash)green

*

Por Mayara Behlau, professora do Núcleo de Criação da Sibol Fashion

Referências: 1, 2 e 3

Cai a chuva…

Nesse tempo, nada mais e nada menos que andar prevenido.Foto 1Guarda-chuva, sombrinha como bem entender chamar… é um dos acessórios mais indispensáveis dos últimos séculos. Faça chuva, ou faça sol ele está lá no fundo da bolsa para nos proteger do clima. Salvando chapinhas da chuva e nos cobrindo daquele sol escaldante do verão.

Mas você sabe quando ele surgiu? Não?!

Apesar da sua origem ser incerta, o guarda-chuva é uma invenção muitFoto 2o antiga. Sabe-se que no século XII a.C já era usado pelos chineses.

Mais tarde os Assírios, Egípicios, Persas e Romanos tiveram uma influência na utilização de novos materiais na busca de conseguirem combinar a utilidade com a elegância. Durante muito tempo o guarda-chuva foi um objeto sagrado, ao ponto de só ser utilizado para cobrir as divindades e a realeza em procissões e eventos de grande significado espiritual. Mas foram os japoneses e chineses que contribuíram para a sua adaptação como acessório de proteção para chuva e para o sol, sem qualquer valor social ou divino. É com essa função que ele chega à Grécia e a Roma, onde foi usado apenas por mulheres.Foto 3

Durante a Idade Média o guarda-chuva desapareceu, voltando a surgir novamente apenas na Renascença, apesar do seu uso ser limitado, pois eram feitos em e pesados cabos de madeira, podendo chegar aos 2 kg de peso. Mas a partir do momento que os Jesuítas introduziram a seda em sua fabricação, tudo mudou. Nos finais do século XVII, foi na cidade de Paris que se começou a refinar o conceito deste acessório: melhorou o formato e criou-se a distinção entre guarda-chuva e guarda-sol. De imediato o guarda-sol passou a ser considerado peça indispensável para as mulheres da época. Esta nova utilização deu origem às sombrinhas enfeitadas com bordados em seda, de ar muito leve e que serviam para dar algum recato aos rostos durante os passeios ao sol. Só no final do XVIII, é que ele começou a ser aceito pelos homens da Inglaterra, devido à um comerciante inglês chamado Jonas Hanway, que conseguiu provar que o sexo masculino era digno de utilizar este incrível item.

Citizens Observing Jonas Hanway with Newly Invented UmbrellaO guarda-chuva se espalhou por todo o mundo, tendo se transformado em um objeto de grande utilidade. Há aqueles que tem até um design inusitado, tomando conta de grandes desfiles de moda.

Foto 5

 

*

Por Paola Sanguin, professora do núcleo de criação da Sigbol Fashion

Referências: Manual de História da Moda Sigbol Fashion, 1.