Arquivo da tag: saia

Saia Mídi inverno 2017

Desde de 2013, esse comprimento dominou as passarelas e o guarda-roupa feminino. Hoje é considerada uma peça chave para compor um look sofisticado e feminino.

A saia mídi tem o comprimento comportado e as vezes causa polêmicas de como usar. Fica ótimo em todas as silhuetas basta ter personalidade forte e não ter medo de ousar.

Neste inverno a ideia é brincar com texturas e materiais, mais do que as estampas.

*

Por Elizângela Gomes, professora do núcleo de criação da Sigbol Fashion.

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29.

Vamos de saia neste inverno?

Nas últimas coleções de inverno as saias midi e longa ganharam espaço, e pelo visto não vão sair de moda tão cedo.Untitled-1

Neste inverno elas aparecem com ares vintage, pregueadas, plissadas, estampadas ou minimalistas, em tecidos finos ou pesados.

Untitled-2

Elas podem ser usadas com saltos mais pesados, tênis ou com modelos de estilo masculino. Aposte na produção, maxicasacos, jaquetas, blusas justas de gola alta, para um look mais clássico use com uma camisa, para um visual mais descontraído um moletom também pode fazer um par perfeito com a saia midi ou longa.

Untitled-3foto 11 foto 16 foto 19

Para as mais ousadas aposte em um modelo em tecidos mais leves coordenando com uma peça de tricô mais pesado.

Untitled-4png

*

Por Elizangela Gomes, professora do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19 e 20.

Confortável também no trabalho

FOTO01

Mas claro que pode! Não entendemos bem porque, mas notamos que a maioria das pessoas costuma associar looks de trabalho a peças desconfortáveis, restritivas e sem graça. Mas, ao contrário da crença geral, seus looks para o dia a dia no escritório / escola / avião / whatever podem ser criativos, bonitos, elegantes and totalmente confortáveis.

FOTO02

O primeiro mandamento para se sentir confortável no trabalho é observar qual o dresscode da empresa, para então montar looks com peças que sejam confortáveis também para você. E como identificar o dresscode, já que nem sempre esse tipo de recomendação vem no pacote quando da admissão? Simples: observe os demais funcionários. Principalmente aqueles que estejam no mesmo setor que você, e, depois, aqueles do setor para o qual você gostaria de evoluir. Explico: naturalmente, quem já tem algum tempo a mais de casa que você identificou o tipo de look que o local e a posição exigem, e já se adequou. Ou, no mínimo, tentou se adequar. Por esta base, você já pode perceber se o local exige dresscode formal ou criativo, cores sóbrias ou coloridas, etc.

FOTO03

Já identificou o dresscode da empresa? Momento agora de adequar suas vestimentas a ela. Primeiro, observar com cautela extrema peças que possam criar desconforto no ambiente de trabalho, tais como transparências, mini ou micro comprimentos, perfume forte, sapatos barulhentos (tais como tamancos, que, ao ficarem soltos nos pés, fazem um barulho danado ao caminhar), maquiagem excessiva, alças de sutiãs fora de lugar, etc. Pense sempre naquilo que traria desconforto para você, se visse outra pessoa trabalhando desta forma ao seu lado. A partir daí, aceite que existem peças do seu guarda-roupa que devem ser mantidas para fins de semana ou momentos pós trabalho.

FOTO04

Continuando à adequação do seu guarda-roupa ao trabalho, passe a trocar quantidade por qualidade: mais vale uma calça de corte impecável e bons tecidos que três de tecidos horríveis e sem forma nenhuma. Neste caso, depende muito daquilo a que você dá preferência ao se vestir: tecidos sintéticos são mais práticos, mas podem pinicar, incomodar, machucar, etc, principalmente os mais baratos; já tecidos naturais, apesar de demandarem manutenção constante, e amassarem com mais facilidade, costumam ser mais confortáveis e frescos no uso. Quanto à modelagem, sempre que for comprar uma peça para o trabalho, teste-a de todas as formas possíveis: sente-se e levante (para ver se você pode fazer tal movimento sem ter que ficar arrumando a peça a todo momento, e se a cintura continua no lugar), levante os braços (em camisas e blusas, para ver se a peça não segura os movimentos, nem mostra a barriga a cada vez que você tenta pegar algo no alto, dobrar os braços para carregar pastas, etc)  e, por fim, se lhe permite pegar transporte com facilidade (neste caso, é muito pessoal, cada um utiliza o transporte que lhe convém e que pode, mas quem dirige deve pensar se a peça lhe permite fazê-lo sem dramas, quem usa ônibus e metro, se não amarrota muito facilmente que te faça chegar no escritório assemelhando-se ao conteúdo de uma garrafa, etc).

Por fim, muita gente tem aquele pensamento de não gostar de gastar em peças para trabalhar. Ora, colega, pense que é uma peça que você possivelmente passará muito tempo da sua vida vestindo. Logo, a compensação de uso vem na quantidade de vezes que ela for usada, e na quantidade de conforto que vai trazer para o seu dia a dia.

*

Por Haranin Julia Maria, professora do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Referências: 12345678910111213141516171819,  202122232425 e 26

E o veludo, onde fica?

IMAGEM1Sabemos que ele já é tradicional do inverno, não é? Mas sempre em versões mais discretas, o veludo agora dá o ar da graça com o tipo que chamamos veludo molhado, aquele bem brilhante, para que nenhuma produção feita com ele passe despercebida.

IMAGEM2

Normalmente renegado a peças de moda festa de inverno, o veludo ressurge em peças casuais, como calças e jaquetas, com propostas para o dia a dia, como calças, bodies, vestidos, jaquetas, etc.

IMAGEM3

Para montar um guarda roupas de alfaiataria, aposte em calças flare de veludo combinadas a camisas de seda, blazeres combinados à calças ou vestidos, e conjuntinhos monocromáticos.

IMAGEM4Aposte também em leggings em veludo e couro ou veludo e suede, quimonos em veludo devore, saias rodadas, lápis ou longas, shorts, casacos, etc. Além de confortável, o veludo molhado é um tecido muito flexível, o que o torna confortável para movimentação do dia a dia.

IMAGEM5

Para a noite, se jogue sem medo nos vestidos quentinhos e decotados, ternos e casaquinhos que deixem o vestido em tecido leve (como seda, musselina ou crepe) mais adequado para as noites invernais.

IMAGEM6

E você, já tem sua peça de veludo? Pretende usar como peça statement ou protagonista do look? Divide com a gente nos comments.

*

Por Haranin Julia Maria, professora do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9