Arquivo da tag: Personal Stylist

Círculo Cromático

O circulo cromático é uma representação das cores visíveis pelo olho humano através de um disco. Ele é muito utilizado nas áreas de moda, decoração, pintura, etc.

cores.

Ele nos orienta e auxilia a escolher cores baseado em uma finalidade, identificar combinações harmônicas.

Em moda, usamos ele para desenvolver coleções e também para auxiliar na combinação de cores dos looks de acordo com o tom de pele.

circulo cromaticozin

Agora você ficou com vontade de saber que cores combinam com você, não é mesmo?

Então que tal conhecer o nosso curso de Personal Stylist?

*

Por Paola Sanguin, professora do núcleo de criação da Sigbol Fashion

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8.

E repetir, pode?

FOTO01

Aposto que você já se questionou, em algum momento da sua vida, se usar uma mesma peça de roupa não é cafona e repetitivo, e que o mais legal (e ideal) é não repetir roupa, principalmente em eventos importantes. Já, não é? Mas a verdade é uma só, amigo(a): quando repetimos nossas roupas é que surge a criatividade no vestir. Oi? Como? Exatamente o que você leu. Quanto menos peças temos no guarda-roupa, mais diversificamos o uso e mais fácil sua vida se torna todo dia, quando precisar pensar no que vestir (levante a mão quem NUNCA acordou mais cedo – ou dormiu mais tarde – separando o que vestir para o dia seguinte! Pois é, antes estudar moda, a gente também!.

Mas então, como evitar esse branco existencial em sua vida e, de quebra, exercitar sua criatividade fashion? Segue aqui o post que a gente ensina!

FOTO02

O primeiro passo é separar tudo muito certinho: sabe aquela calça que você se prometeu que voltará a usar, mesmo que não seja mais do número correto para você há mais de três anos? Vamos circular a energia, meu bem! Se estiver em condições (não valem peças desbeiçadas caindo aos pedaços, néam? Não!), doe, passe adiante para o próximo. Não está mais? Vamos consertar (se possível) e aí sim doar ou reaproveitar para outras funções, enfim…. Com um número reduzido, mas ainda assim básico, fica mais fácil organizar o espaço e saber o que há para se usar (de verdade).

FOTO03

Em seguida, separe as partes de baixo (que chamaremos de bottoms), e tente combiná-lo com, ao menos, três partes superiores (ou tops). Acrescente depois, a cada look, acessórios ou uma terceira peça (como casaco, colete, etc). A variedade de combinações é que dará ao look cara bem diferente que as peças precisam para serem variadas. Isso também pode ser feito com peças únicas, como macacão e vestido. E é ainda mais fácil, já que esses, além de poderem ser usados completos, combinados a terceiras peças, podem também tornarem-se só bottom ou só top, e aí a imaginação é seu porto, colega!

FOTO04

E no final das contas, muita gente também se questiona se só podemos fazer isso com peças de cores neutras. Gente, não né? Se você, ao contrário de mim, não curte muito só usar peças de cores neutras (e aqui incluo também os coloridos neutros, tipo o azul marinho), combine também peças coloridas. Lógico que com um punhado de calças e saias pretas, cinzas e marrons, é muito mais fácil combinar uma blusa pink ou uma camisa azul turquesa. Mas, ei, a intenção não é também exercitar a criatividade? Então, vamos lá, coloca pra fora todo seu conhecimento adquirido sobre coloração e misturas, e reúna coragem que você consegue combinar peças coloridas ou estampadas!

Começando por usar cada vez mais tudo que você tem no guarda roupas, sua criatividade de combinar peças diferentes todas as vezes aumenta consideravelmente, fazendo com que nada mais fique abandonado no armário, e seu dindim seja mais valorizado!

*

Por Haranin Julia Maria, professora do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Referências: 12345678910111213141516 e 17

História do Cabide

FOTO 1

Seu guarda roupas tá uma zona? Então tá na hora de dependurar algumas peças e conhecer como surgiu o maravilhoso: Cabide!

O cabide é um acessório indispensável no guarda roupa hoje em dia, sem ele não há como dependurar aquele casaco super fashion para evitar que fique amassado.

FOTO 2

Ele foi inventado a mais de quatro mil anos atrás e as primeiras imagens que se conhece do acessório, são em hieróglifos extraídos de um sarcófago egípcio.  Porém, na época o cabide era apenas usado como um recurso para ajudar a preservar as túnicas, que possuíam tecidos delicados, colocadas na vertical e em local ventilado, fazendo com que a peça dura-se mais.

FOTO 3

Mas, durante a Idade Média os cabides desapareceram. Como a moda era usar uma roupa que mais parecia um camisolão de lã, linho ou algodão, que não precisava de cuidados especiais, tudo era mantido em arcas e baús.

Quando os móveis ganham um caráter mais permanente (séc. XIV), os baús passaram a ser tidos como objetos de arte e cederam o lugar ao guarda-roupa, com suas prateleiras e suportes para pendurar. Então em 1903, o canadense Albert Parkhouse inventou o modelo mais popular até então.

foto 4

Atualmente encontramos cabides com diversos recursos para camisas, saias, casacos, modelos dobráveis e inúmeras variações para todos os tipos de gostos.

E por falar em cabide, é sempre bom manter o guarda roupas organizado. Mas se você não sabe como, basta conhecer o nosso curso de Personal Stylist, lá além de aprender a organizar as suas coisas vai aprender como valorizar sua silhueta, dar consultoria de imagem, etc.. Dá só uma olhadinha:

*

Por Paola Sanguin, professora do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Referências:  1.

Apostila Arte de Vestir Sigbol Fashion, Dicionário da Moda Sigbol Fashion, História da Moda Sigbol Fashion.

Sapatos e Bolsas: combinar ou não?

painel

Para as mais antenadas na moda é mais interessante e fashion, usar bolsas e sapatos de cores diferentes. Mas não podemos considerar visualmente errado algumas produções com estes acessórios em cores iguais, tudo depende, é claro, de uma análise do look inteiro. Não existem regras para compor um look legal, mas existem maneiras para te ajudar a chegar lá. Imagina você chegando naquela festa, com seu look despretensioso, esbanjando estilo e passando a impressão de que nem pensou muito para montar aquele visual, você apenas, vestiu, saiu e arrasou! Uiiiiiiii!

  • Acessórios – Sapatos e bolsas:

Neutros:painel sapato neutrodColoridos:

painel sapato colorido

Estampados e texturizados:

painel estampado

Existem algumas maneiras de construir look´s sem parecer “conjuntinho” demais, por exemplo:

  • Use bolsas e sapatos coloridos, estampados ou texturizados com um look de cores mais neutras. Os acessórios coloridos podem se tornar o foco fashion do seu look monocromático.46
  • Use look´s coloridos com acessórios coloridos.27
  • Combine as cores usando o círculo cromático, ou  se usar uma peça estampada, a cor do acessório deve ser coordenada, ou seja, ter pelo menos uma cor em comum.

7

  • Combine estampa com estampa (look+sapato): para ficar mais harmônico use as estampas de cores compatíveis, mas uma das  estampas deve ser dominante, isto é deve ser mais importante na composição do visual.

12

Gostou? Continue nos acompanhando, e divirta-se coordenando seus look´s. Não fique no pretinho ou neutro básico nos acessórios, ouse mais!

*

Por, Crislaine Lima professora do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Referências: 1,  23,  4,  56789101112131415.

Manual Sigbol Fashion Arte de Vestir.

Alta costura, prêt-à-porter, grife e fast fashion…Qual a diferença?

Se você está confuso, acalme-se! Nós vamos te explicar. Preto de copas (cartas)

FOTO 1

A alta costura (conhecida também por Haute Couture) teve início em 1858, foi criada pelo inglês Charles Frederick Worth que produziu seu primeiro desfile em Paris 1858, usando modelos ao invés de cabides. As peças são exclusivas (únicas), fabricadas manualmente com pedras e metais precisos (fios de ouro, diamantes, safiras, etc).

FOTO 2

Já o prêt-à-porter (“Ready to wear”, que significa pronto pra vestir), teve início em 1949 por J.C. Weil, após a 2ª Guerra Mundial, mas essa expressão só pegou em 1959, quando Pierre Cardin lançou sua primeira coleção na alta-costura, ou seja, as roupas já estavam prontas para serem levadas.

Porém em 1963, novamente o estilista Pierre Cardin, começou a assinar acordos com grandes fabricantes de roupas, para comercializar a sua grife (marca).
FOTO 3

E o Fast Fashion? São as peças industrializadas que precisam ser renovadas nas araras de lojas de departamento o mais rápido possível com produtos a preço baixo para transmitir as estações do ano, já que o consumidor adquire novidades a todo vapor, podendo gerar para essas grandes redes um aumento de faturamento.

Se você tem mais curiosidades sobre esse mundo fashion, é só conhecer nosso curso de estilo, além de tirar as suas dúvidas você aprende a desenvolver sua própria coleção:

Por Paola Sanguin, professora do Núcleo de Criação Sigbol Fashion

Referência:  1.

Apostila de Estilo, Manual Arte de Vestir Sigbol Fashion, Dicionário da Moda, História da Moda.