Arquivo da tag: personal stlylist

Consultoria para noivas

Vamos falar de um assunto romântico, os casamentos… as noivas…

Muitas pessoas sonham em se casar, e esse é um ramo que vem crescendo cada vez mais no mercado de consumidores, o casamento movimenta mais de 16 milhões de reais anualmente, e mais de 800 mil pessoas se casam por ano no Brasil, um casamento gera um investimento estimado em 30 mil reais incluindo todos os serviços essenciais para um casamento dos sonhos.

Sem duvida a escolha mais difícil do casamento é da noiva na hora de escolher seu tão sonhado vestido, essa escolha envolve muitos pontos, por exemplo se vai combinar com o estilo do casamento, se combina com sua personalidade, seu estilo de vida e modo de se vestir, entre outros aspectos que são levados em conta.

Fazer uma boa pesquisa de referência é essencial para essa decisão, a noiva deve fazer essa pesquisa antes de agendar com lojas ou estilistas que forneçam seu tão sonhado vestido, para que suas ideias e desejos estejam bem claros em sua mente.

O vestido ideal é aquele que casa com a opinião da noiva, o estilo de vida, o horário do casamento e com a proposta da festa. Se esses aspectos estão de acordo, você escolheu o seu vestido ideal.

O curso de Personal Stylist da Sigbol prepara você para conquistar uma variedade enorme de oportunidades no ramo de consultoria de vestimentas, também no mercado de noivas.

*

Por Alan Prates, professor no Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Referência: 1, 2, 3, 4.

Faxina no guarda-roupa

2015 se foi, 2016 chegou, e você está muito a fim de começar o ano com o pé direito? Porque não começar com um guarda roupa de arrasar, passando-o por um faxinão? Afinal, nada melhor para seu guarda roupa (e seu bolso, também, diga-se de passagem) que fazer uma faxina e organizar tudo, tintim por tintim, e criar espaço para novos looks e novas coisinhas (afinal renovar a energia sempre faz bem né?)

Muitas vezes, porém, ao abrirmos o espaço a ser arrumado, só aquela bagunça e a quantidade de coisas que você vê ao mesmo tempo pode te deixar confuso. Mas não tema: estamos aqui pra dar uma forcinha.foto1Então a primeira coisa a se pensar é: retirar tudo que ocupa o espaço (e tudo que deveria ocupá-lo, mas ficou de fora por conta da quantidade de peças que já atulhava o armário). Nossa, mas precisa? Sim, colega, precisa. Não tem jeito melhor de visualizar o espaço que você tem. Separe tudo, e, se tiver espaço suficiente, separe também por tipo de peça: calça com calça, saia com saia, camisetas com camisetas, etc.foto2Segundo passo é agora começar provando tudo. Peça por peça, e verificando no espelho se ficou realmente boa em você e se você realmente gosta dela, ou comprou simplesmente por estar barato ou em liquidação. Em casos como este, separe a peça: se estiver em bom estado, você pode doar (o próximo agradece!) ou levar pra vender em um brechó legal (hoje em dia, tem até pela internet! Só não vale usar o dinheiro lá mesmo e trazer peças novas que você também não vai usar… segura o forninho, colega!!!). Se, por outro lado, a peça não está lá aquelas coisas, pode envia-la para o conserto. Mas o faça agora, pois deixando para amanhã, normalmente esquecemos e só vamos lembrar quando estivermos precisando desta peça. Que vai estar com problemas. Então, força: mande pro conserto se for o caso.foto3Hora de colocar as peças novamente no armário, e ver o que realmente ficou. Você já vai notar, nesta etapa, que muita coisa comprada há tempos ficou parada porque você não se lembrava da existência dela, e que muita coisa foi retirada. O ideal agora é colocar as peças seguindo uma ordem, cada coisa em seu lugar. Camisetas, lingeries, meias e peças de malha em geral, etc., devem ficar em gavetas, ou em prateleiras no closet, preferencialmente divididas por cor e tipo de peça. São peças que correm risco de deformação quando penduradas. Já calças, saias, blazeres, camisas, etc., podem ser encaminhados para o armário, também priorizando os cabides ideais para cada tipo de peça (para quem não sabe, existem cabides especiais para calças, saias, etc., que guardam a peça mantendo o formato para que não amassem e deformem em meio ao restante das peças). Além disso, podem ser organizados por cores e por tipo de peça, como comprimentos de saias (da mais curta para a mais longa), tipos de calça, etc. Isso torna mais fácil a identificação da peça no armário.foto4A última etapa é verificar quais peças precisam ser adquiridas novamente. Aqui sugiro fazer uma pequena lista (não empolga demais nessa fase, hein!), somente com peças que são fundamentais no seu dia a dia, e que não estão mais em seu guarda roupa neste momento. Mas maneire a quantidade: se você costuma usar, por exemplo, calça pantalona no dia a dia, mas não calças retas, limite-se a anotar sua calça favorita, pois um exemplar reto, por mais recomendado que seja nas listas de “básicos de um guarda roupa” da revista mais próxima, não faz parte do seu momento hoje. A menos que decida na loja que a reta veste bem melhor em você que a antiga pantalona. Nesse caso, fique com a reta e esqueça a outra!

Pode parecer muita coisa para arrumar somente um armário, e é sim: a intenção aqui é criar para você um guarda roupa consistente com sua personalidade e coerente com o seu dia a dia, para que você passe pro mundo exatamente aquela mensagem que deseja. Na dúvida? Consulte um profissional, ou venha conhecer nosso curso de Personal Stylist!

Bom guarda roupa novo pra você!

*

Haranin Julia Maria, professora do núcleo de criação da Sigbol Fashion.

Referências: 123456789101112131415161718 e 19