Arquivo da tag: peças

TECIDOS DE MALHA E SUA COMPOSIÇÃO

Para quem tem dúvidas sobre os tecidos de malha, e não sabe ao certo qual tecido escolher para fazer determinada peça de roupa, vamos tentar entender um pouco sobre como cada malha é composta, e a partir disso você poderá escolher melhor qual se adéqua ao modelo desejado, em questão de conforto, toque, textura, etc…

ARRASTÃO

PAINEL 0

Composição: 100% poliéster.

Descrição: malha larga e aberta.

Uso: meias-calças e casacos.

SUPLEXPAINEL 1

Composição: 86% poliamida e 14% de elastano.

Descrição: tecido flexível e macio, bastante resistente e com ótimo caimento.

Uso: Roupas esportivas, blusas.

CROCHÊ

PAINEL 2

Composição: 100% poliéster.

Descrição: Malha por urdume que usa variados pontos de crochê manual.

Uso: toalha de mesa, decoração, aviamentos.

 VISCO LYCRA

PAINEL 3

Composição: 96% viscose, 4% elastano.

Descrição: Tecido liso, leve e com grande elasticidade. Tem ótimo caimento e dependendo da cor pode ser meio transparente. (use forro)

Uso: vestidos, blusas, saias e roupas de verão.

MALHA RETILÍNEA

PAINEL 4

Composição: 88% poliamida e 12% elastano.

Descrição: Tecido com formato de laçadas. Geralmente feita com fio tinto.

Uso: Gorros, casacos, luvas.

JERSEY

PAINEL 5

Composição: 100% poliéster.

Descrição: tecido de malha circular ou retilínea muito maleável e escorregadio, confeccionado em lã, seda, algodão ou fio sintético.

Uso: Lingerie, decoração, vestido

 

PIQUÊ de MALHA

PAINEL 6

Composição: 67% poliéster e 33% de viscose.

Descrição: Técnica originalmente manual que usa o tecido para fazer matelassê.

Uso: acabamento em punhos e golas, vestidos e chapéus.

MOLETOM

PAINEL 7

Composição: 75% algodão e 25% poliéster

Descrição: malha de lã, macia, quente, flanelada dos dois lados, que aliada a um processo de peluciamento oferece maior aquecimento ao corpo.

Uso: moletom, estofamento, roupas de inverno.

PLUSH

PAINEL 8

Composição: 80% algodão e 20% poliéster.

Descrição: tecido macio de algodão semelhando ao veludo.

Uso: adornos em punhos e golas, vestidos, aventais, chapéus, pantufas.

HELANCA

PAINEL 9

Composição: 100% poliamida

Descrição: tecido elástico feito com fio texturizado  de poliamida.

Uso: bermudas, calças, roupas de criança.

MEIA MALHA

PAINEL 10

Composição: 100% algodão

Descrição: tecido de simples frontura (pente) feito em máquinas circulares construído com um ligamento mais simples.

Uso: todo tipo de confecção.

 *

Por Cynara Gomes, professora do Núcleo de Modelagem da Sigbol Fashion.

Referências: 123456789,10111213141516171819202122 e 23.

O ATEMPORAL NA MODA

Há peças de roupas e acessórios que fogem do domínio das tendências e permanecem firmes, ao longo dos anos estão sempre em alta, não há temporada, nem estação para essas peças serem usadas, elas estão sempre atuais e na moda.

Para esses tipos de peças damos o nome de atemporais,  pois elas não são afetadas pelas trocas de tendências do mundo da moda.

Com o passar do tempo uma peça que você tenha esquecida ai em sua casa pode estar em alta, ou seja, voltou com tudo e é tendência novamente. Aproveite momentos de feriado ou quando estiver mais tranquila para fazer uma limpeza no closet, vai ser uma experiência única e você poderá achar aquela peça esquecida e usá-la novamente, agora se você esta um pouco perdido sobre o que tirar do armário, quais são as peças-chave/ básicas/ essenciais que todas nós deveríamos ter? Então vamos lá!

  • JAQUETA DE COURO PRETA: Símbolo da turma rocker e dos músicos mais descolados do planeta, ela conquistou espaço cativo no nosso guarda-roupa. Versátil, foi ganhando diferentes modelagens ao longo do tempo. Para sair da mesmice, invista em modelos com texturas e shapes inusitados. Quanto à cor, fique com a mais bacana para esse clássico, sem dúvida nenhuma o preto.1 2

 

  • BLAZER PRETO : Amigo de todas as horas, faz o estilo biker, para um jantarzinho à noite, um almoço, trabalhar, viajar a negócio ou a passeio. Sem contar que esta peça tem passe livre para qualquer festas e afins.3 4

 

  • TRENCH-COAT BEGE: Criada por Thomas Burberry no final da Primeira Guerra Mundial, a peça sobreviveu aos modismos e já é considerada um clássico do guarda-roupa, reinando absoluta até hoje, levantando os mais diversos looks. Invista num modelo cáqui ou preto, eles vão bem com tudo ou também opte por uma parka bege, essas peças não são consideradas ‘’peças fashionistas”, mas sim básicas e essenciais.5 6

 

  • A BOA E VELHA CALÇA JEANS: Calças jeans são as rainhas de qualquer guarda-roupa, porém elas precisam ter um bom caimento no corpo, nada de calça que não serve mais no seu corpo ou que precisa passar manteiga para entrar nela, elas são peças coringas tanto na montagem de looks esportivos como casuais e por que não chiques também, por isso vale a pena investir em lavagens e modelagens diferenciadas.7

 

  • CALÇA PRETA: Pode ser estilo bomber, couro ou de alfaiataria, calça preta é um investimento sem arrependimento. Dúvida do que vestir em qualquer ocasião? A calça preta funciona muito bem, opte por usar uma malha e a jaqueta de couro ou um blazer colorido.  Está elucidado o quebra- cabeça, faz tempo que a peça deixou de ser uma exclusividade do closet das executivas. Com a onda minimalista que voltou a pairar na moda, a alfaiataria ressurge mais cool do que nunca, sem perder seus dois principais pilares: corte e caimento perfeitos, shapes novos e tecidos nobres são responsáveis por levar as calças do escritório para as passarelas e as ruas.8

 

  •  VESTIDINHO PRETO BÁSICO: Com certeza todas as mulheres tem um desses, ele faz parte do closet, pode ser de renda, couro, sarja, modelo com alcinha pra usar no verão com tênis (pra ficar esportivo) também pode ter modelos com manga comprida pra usar na meia estação com botinha baixa, não importa o modelo o importante é ter pelo menos um no armário. 9 11 10

 

  • VESTIDO ESTAMPADO: Os vestidos são peças versáteis e que combinam em qualquer ocasião, seja uma festa ou ambiente corporativo. Existem vários modelos como: curtos, médios e longos. A peça clássica aparece inovada no verão com estampas, design moderno, comprimentos diferentes e cortes assimétricos que prometem ser a nova aposta.

12 13

 

  • CAMISA BRANCA: Fundamental ter uma! Umas das peças mais clássicas do guarda roupa feminino e masculino, a camisa branca de alfaiataria, um clássico que nunca vai sair de moda seja no trabalho, para sair, num happy hour, numa festa, almoço, jantar, etc. Basta você apostar e abusar dos acessórios e dar uma cara nova ao seu look, hoje em dia temos camisas em tecidos mais leves, menos formais. É muito importante ter pelo menos uma em seu armário.

15

 

  • SUÉTER DE MALHA EM TOM NEUTRO OU CASHMERE: São indispensáveis no inverno, prefira tons neutros e terrosos, recomendamos essas cores por que estão sempre em evidência no inverno, e nunca sairão de moda.16 17 18

 

  • SCARPIN: Ícone sexy, o sapato de bico fino e salto alto mostra seu dinamismo ao passear por diferentes estilos. Não é à toa, agrada nove em cada dez mulheres e a mulher que não gosta já experimentou em algum momento da vida com certeza, versões envernizadas são clássicas e ainda atendem à tendência glossy. Para quem deseja uma peça multifuncional, os metalizados são perfeitos para as Cinderelas do século 21.19

 

  • SAPATO NEUTRO SEM SALTO: O conforto é outra coisa que não sai de moda, se você é da pegada mais confort, opte por sapatos mais baixos como: tênis all star, sapato, sapatilhas, algum mocassim ou mesmo a “novidade” do passado: o  oxford, pois são baixinhos, estilosos e compõe bem qualquer look.20

Na época de crise que estamos passando, o negócio é economizar, certo? Então não perca tempo, no próximo feriado ou fim de semana, de uma boa espiada demorada no closet para ver o que realmente importa e o que está ali há anos intocado e pode se tornar sua nova peça queridinha.

Saia em busca e monte looks maravilhosos com peças super legais que você já tem!

 *

Por Natalina Porto, professora do Núcleo de Modelagem da Sigbol Fashion.

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19 e 20.

 

Calças – Comprimentos e modelos.

Calças

Peça do vestuário feminino e masculino que cobre os membros inferiores.

Foi na década de 20 que o uso da calça por mulheres passou a ser considerado normal, esta moda ganhou força na Segunda Guerra Mundial quando as mulheres assumiram os trabalhos masculinos, usando-as nas fábricas e no campo.

 

Comprimentos:

Short 

1

Bermuda

2

Bermudão

3

Corsário

4

Pescador

5

Cigarrete

6

Comprida

8

Fuseau

7

 

Modelos:

  • Pantalona 

Com pernas folgadas e bocas amplas, reta da cintura à barra.

painel pantalona

  • Pantacourt

Larguinhos, com altura pouco abaixo dos joelhos ou na metade da canela, são como pantalonas curtas.

painel pantacourt

  • Flare

Esteve muito na moda nos anos 60 e 70, justa nos quadris e coxas, alargando-se em forma de cone a partir dos joelhos até os pés.

flare2

  • Jogging

Calça de estilo esportivo que fez muito sucesso nos anos 80 e está de volta com cara nova. O modelo possui cós e barras de punho e é confeccionado com tecidos e modelagem que priorizam o conforto como malhas e moletom, pode ter bolsos com zíper e cadarço na cintura para enfeitar ou regular o tamanho da peça.

esportiva1

  • Social

Reta da cintura à barra, pode ter variações neste modelo (pregas, bolsos e cós).

painel social

  • Legging

Justa nas pernas, em tecidos finos de malha, normalmente com elástico na cintura.

legging8

  • Skinny

As calças jeans tem inúmeras modelagens. Uma das mais contemporâneas é a skinny, também conhecida como thight fit ou slim fit. Com cintura baixa ou alta, marca bem os quadris e tem as pernas justas, com corte afunilado ou reto. Skinny quer dizer muito magro (“pele-e-osso”). A calça é quase uma segunda pele mesmo, quase uma legging, só que de jeans ou outra variável com muito elastano.

painel skinny

*

Por Crislaine Lima, professora do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Referências: 12345678910111213141516, 17181920 e 21.

Dicionário da Moda Sigbol Fashion.

Manual História da Moda Sigbol fashion.

Entretelas – Parte II

Na matéria anterior falamos dos tipos de entretelas, e hoje vamos falar de como aplicá-las nos tecidos.

Antes de escolher a entretela a ser aplicada, devemos pensar no tipo de tecido em que ela será utilizada: se for um tecido fino, do tipo chiffon, ou um pesado, como o jeans, por exemplo, devemos pensar em que tipo de acabamento a peça terá, e se o tipo de lavagem e tingimento podem alterar as características da peça (pois se não houver uma escolha correta da entretela, a cola poderá ser visível do outro lado).

Devemos pensar também em qual parte da peça deverá ser aplicada a entretela, pois existem diversas específicas para cada parte da peça. Pensando, por exemplo, em um terno, a entretela a ser aplicada na gola não deverá ser a mesma indicada para aplicação em um cós de saia jeans.

imagem 1

O resultado final vai depender de como queremos a peça: mais estruturada ou com um caimento mais leve? O importante é pensarmos no visual final da mesma, e em como uma entretela (quando bem aplicada) pode mudar a aparência do tecido.

imagem 2

Temos dois tipos de entretelas: com ou sem cola.

As entretelas sem cola deverão ser alinhavadas no tecido, para que não fiquem enrugadas na peça, dando aspecto de mal acabado.

imagem 3

 

Já as entretelas com cola têm uma aplicação bem simples: usa-se um ferro de passar doméstico ou industrial, tomando os devidos cuidados com a temperatura e o tempo em que o ferro deve ficar sobre a entretela. Corte-a no tamanho do molde, e aplique-a sobre o avesso do tecido (o lado mais brilhante da entretela é onde está a cola, então é este lado que deve ficar sobre o avesso do tecido). Com o ferro na temperatura média, pressione o mesmo sobre a entretela ou o tecido (se preferir coloque um papel manteiga sobre a mesma e passe o ferro por cima dele). Lembrete: a temperatura do ferro não pode ficar muito baixa senão a cola não adere normalmente e cria bolhas. O importante é pressionar bem e aos poucos. Espere a entretela esfriar antes de começar a trabalhar para que a mesma não descole ou enrugue.

IMAGEM4

Seguindo estas dicas super fáceis, suas peças ficarão perfeitas!

*

Por Ana Paula Lopomo, professora do Núcleo de Modelagem da Sigbol Fahion

Referências: 1, 2, 3, 4, 5 e 6

Entretelas: como escolher e quando usá-las?

Uma boa entretela tem a capacidade de transformar uma peça, e isto não é nenhuma novidade. Porém fica a dúvida: qual é a melhor para cada peça?

FOTO1

A entretela é um material que, aplicado ao tecido, dá estrutura a peça, deixando-a mais encorpada. Geralmente encontram-se no mercado entretelas de algodão, TNT, viscose, lã ou malhas, finas ou grossas. É comum usá-las em colarinhos e golas, e também são muito usadas em cós de calças e saias, blazeres, ternos e revéis.

FOTO2

Costumamos classificá-las em dois grupos: as costuráveis e as fusionáveis (ou termocolantes). As entretelas costuráveis geralmente são costuradas à peça, para não alterar a característica do tecido, não possuem colas e normalmente são encontrada em TNT/papel. Já as entretelas fusionáveis (ou termocolantes), por conterem cola em uma das partes, são fixadas com ferro de passar ou prensa. Facilitam o trabalho, pois são colados ao tecido e dão maior segurança à hora de costurar. Escolha sempre uma entretela de boa qualidade: as muito ruins causam bolhas ao tecido.

 

Tipos de entretelas

Não se empolgue na hora de comprá-las, pois no mercado existem entretelas de vários tipos. É preciso ter em mente que tipo de peça vai recebê-las:

As entretelas de TNT (tecido não tecido) são encontradas com mais facilidade em armarinhos, e geralmente são muito baratas. Fáceis de aplicar, podem ser encontradas em diversas espessuras. Porém, rasgam facilmente, e não podem ser reaplicadas (caso não tenham ficado bem coladas, devem ser cortadas novamente e aplicadas na peça). Não resistem à muitas lavagens.

imagem 07

Entretelas de tecidos planos são mais encorpadas, muito similares ao tecido e podem ser encontradas em várias espessuras. Muito mais resistentes do que as de TNT, dificilmente rasgam, podendo ser reaplicadas caso a aplicação inicial não tenha ficado adequada. Suporta diversas lavagens.

imagem 08

As entretelas de malha mantém o caimento do tecido, pois são mais maleáveis. Usadas principalmente em tecidos de malha, finos ou de alfaiataria, não esticam tanto quanto as malhas, mas deixam a peça mais encorpada, e no mercado encontram-se diversas cores, até mesmo entretelas transparentes. Tem muito boa resistência a lavagens.

imagem 09

Antes de escolher uma entretela para sua peça, faça um teste e veja o resultado (após a lavagem) num pedaço de tecido de mesmo tipo do original. Cole a entretela e lave como se fosse a própria peça.

imagem 10

No próximo post falaremos de como entretelar um tecido.

*

Por Ana Paula Lopomo, professora do Núcleo de Modelagem da Sigbol Fashion.

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10 e 11