Arquivo da tag: Gucci

Ano novo chinês 2019: O ano do porco

Aqui no Brasil comemoramos a entrada do novo ano em janeiro, no entanto, em outros países essa data pode ser diferente. É o caso da China, que comemora o ritual de passagem de acordo com o calendário lunar, e celebraram no dia 05 de fevereiro o ano do porco.

Assim como no Brasil, há várias tradições na China antes e durante a passagem do ano, como por exemplo, fazer a limpeza de seus lares para afastar os maus espíritos algumas semanas antes e reservarem exclusivamente o primeiro dia do ano para visitarem parentes e amigos.

Apesar das culturas serem distintas, é inegável que as tradições de ano novo carregam muito mais do que apenas crendices ou ensinamentos que nos foram passados pelos nossos ancestrais, elas trazem acima de tudo esperança, renovação e inspiração.

Não é a toa que várias marcas de peso do mercado da moda, usem o tema como inspiração para coleções que dão o que falar. É o caso da Gucci, Dolce & Gabanna e Longchamp. Ainda mais quando o ano promete entre muitas coisas resoluções de pendências, abundância e principalmente riqueza.

Camiseta Dolce & Gabanna

Coleção cápsula Gucci

Bolsa da Longchamp

E quem quer aproveitar e se aprofundar mais sobre o assunto pode conhecer um pouco mais da cultura chinesa, na festa em comemoração a entrada do ano do porco no bairro da Liberdade em São Paulo que ocorrerá no próximo sábado e domingo, dia 9 e 10 de fevereiro.

Por Karine Holzmann, professora do Núcleo de Criação Sigbol Fashion

Referência: 1, 2 e 3

Bolsas tiracolo

As queridinhas das fashionistas estão de volta, as bolsas tiracolo apareceram nos desfiles em vários tamanhos, pequena, média ou grande.

As bolsas tiracolo são praticas e coordenam com qualquer look.

Elas aparecem com vários materiais, couro, veludo e camurça, lisas ou texturizadas.

 

*

Por Elizangela Gomes, professora do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18,19 e 20

A história de Alessandro Michele na Gucci.

Alessandro nasceu em 1972 em Roma, estudou na Academia di Costume e de Moda Romana com o objetivo de ser figurinista.

Começou sua carreira no mercado da moda criando acessórios para a Fendi, porém em 2002 começou a trabalhar na Gucci, e dez anos depois foi nomeado assistente de Frida Giannini, que em 2015 abriu mão de seu posto na direção criativa da marca. Foi então que Alessandro foi nomeado o diretor criativo da marca.

Em sua primeira coleção para a Maison ele trouxe uma estética inovadora com uma pegada andrógina com ecos dos anos setenta.

Alessandro não segue regras e isso o torna único e inovador, surpreendendo a todos em seus sempre atraentes e inovadores desfiles.

Eu tento seguir as minhas próprias regras, e não as diretrizes da moda”.

*

Por Alan Prates, professor do Núcleo de Criação da  Sigbol Fashion

Referências: 1

Revival Part.3: Peyton Knight (anos 70)

Estrela da última coleção da Gucci, Peyton Knight com apenas 17 anos é um dos nomes mais comentados da temporada de Verão 2016 internacional, tornou-se a queridinha de fashionistas desde Marc Jacobs a Miuccia Prada.

eea0586c75fad2f59c77120753736112

Descoberta em um cinema de sua cidade natal, St. Louis, Peyton desfilou pela primeira vez  para Alexander Wang, além de Marc Jacobs e Victoria Beckham; na Europa, para Gucci, Prada, Fendi, Balenciaga, Chanel e até Versace que costuma optar por modelos mais sexies.

7220e2389260164274828e81d87d6551

Peyton faz parte de uma geração de modelos que sustentam o movimento gender-bender que brincam com a beleza exótica e looks sem identidade de gênero.

Seu estilo, e principalmente seu corte de cabelo vintage, nos remete diretamente aos anos 70, que também foi, é e será tendência com variações do estilo boho em 2016.

peyton-knight-ffw-models-4Untitled-1

 

*

Por Mayara Behlau, professora do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion

Referências: 1, 2, 3 e 4

Completely Lost, hããã?!

Esqueça tudo a que você estava acostumado a assistir nos shows da Gucci. Após um ano à frente da direção criativa da marca, Alessandro Michele reafirma o seu estilo retro, um pouco kitsch diga-se de passagem, e a moda sem gênero. Onde está o toque sexy, e até um pouco vulgar em algumas ocasiões, dos desfiles de Tom Ford? Também não vemos mais a alfaiataria correta, de linhas limpas e bem construídas que marcaram os anos de Frida Giannini!

A coleção masculina Fall 2016 de Michele é marcada pelo excesso e por uma moda para lá de excêntrica. Vê-se uma profusão de cores vibrantes combinadas, mistura de estampas (florais, geométricos, xadrezes), tecidos trabalhados, texturas, bordados e brocados – um choque total, mas no bom sentido (rs). Há ainda elementos que remetem ao estilo confortável (tendência forte também no feminino em Nova York, com os sleepy dresses, lembra?!), com modelagens mais amplas e conjuntos inspirados em pijamas, além de tricôs e gorros. Uau! Poderia apostar que a camiseta do Snoopy vai virar hit entre os fashionistas.1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Michele entrou tímido há um ano, mas agora, seguro da sua missão na Gucci, mostrou para que veio: sacudir as tradições construídas há décadas.

*

Por Danilo Centemero, estilista, modelista, VM, vitrinista e professor do Curso de Visual Merchandising e Vitrine da Sigbol Fashion.