Arquivo da tag: exposição

70 anos de Christian Dior.

Christian Dior foi um dos responsáveis em resgatar a feminilidade perdida no pós-guerra. Depois da segunda Guerra Mundial (1939-1945) o mundo da moda ficou órfão de clamour, porque a ordem era recesso, opondo se a tudo isso Dior criou um look onde usavam metros e metros de tecidos, dando um basta na moda que estava masculinizada. O New Look titulado por uma jornalista americana em 1947 virou a marca registrada de Dior.

Este ano a marca Dior comemora seus 70 anos e ganha uma exposição que ira em cartaz no dia 5 de julho até 7 de janeiro de 2018 em Paris, serão exibidos 300 vestidos de alta-costura, além de esboços, fotografias, ilustrações, fracos de perfumes e acessórios.

O foco da exposição é fazer uma retrospectiva com peças do início da marca até os dias de hoje.

A exposição também aborda como cada sucessor deu continuidade ao trabalho de Christian Dior. Yves Saint Laurent doou sua energia criativa refinada, Bohan obedeceu o estilo chic parisiense, enquanto Ferrè ousou com seu estilo exuberante barroco, assim como o ousado Galliano que infelizmente foi envolvido em um escândalo e acabou abrindo espaço para o minimalismo de Raf Simons.

Se for a Paris de uma passadinha na exposição que está maravilhosa.

*
Por Elizangela Gomes, professora do núcleo de criação da Sigbol Fashion

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32, 33, 34, 3536.

Moda & Cinema

tumblr_m399ppQami1r98865

A moda e o cinema sempre andaram juntos. Quem nunca teve vontade de comprar aquele figurino maravilhoso de Titanic?  Ou o vestido da bonequinha de luxo?

Mas pra que serve um figurino afinal?

O cinema de início tinha como principais funções registrar acontecimentos e narrar histórias. Por ser um registro de imagens, ele também é visto como uma das principais fontes de pesquisa de moda. De início o figurino não era tão importante, mas a partir do momento em que os filmes passaram a ter uma produção mais cuidadosa, o figurino começou a ser primordial, trazendo os personagens para a realidade e documentando as histórias e as vestimentas. Expressando e transmitindo a primeira ideia e características sobre os personagens, a trama e a época para os espectadores, que até alguns anos atrás era mudo e monocromático.

tumblr_mpqsuoAHdG1rubhato1_500

A moda e o cinema tem uma conexão muito grande, são vendedores de sonhos. E é por isso que o cinema com o tempo deixou de ser apenas uma referência de moda e comportamento para ser também uma vitrine. A roupa do personagem se tornou um sonho de consumo. Os trajes e costumes dos atores viraram tendência. Porém é sempre bom manter a sintonia do figurino com o elenco, o cenário e o tempo, mesmo que cada pessoa tenha uma sensação diferente.

tumblr_mrgzivSsvj1sy3b1jo1_500

Conclusão, a moda e o cinema fazem parte da vida de muitas pessoas, seja como inspiração ou identificação. Vale a pena lembrar que o XIII Sigbol Tesoura de Ouro: Figurinos de Cinema está em exposição percorrendo por vários shoppings, linhas de metrô, etc… e você? Tá esperando o que pra fazer uma visita?

Mais informações sobre a exposição em: www.sigbolfashion.com.br

exposição

*

Por Paola Sanguin, professora do núcleo de criação da Sigbol Fashion.

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6. Manual História da Moda Sigbol Fashion

Qual o papel do Visual Merchandising numa empresa de moda?

01

Pouco se sabe sobre esta poderosa ferramenta de vendas, o que para algumas empresas pode ser considerado um luxo desnecessário, outras tem o V.M como centro dos seus negócios e garantem que é parte integrante do Marketing, encantando, seduzindo e acima de tudo vendendo.

02

Vale ressaltar que os conceitos técnicos de V.M são universais, o que pode ser alterado é o posicionamento, estratégia ou tática da empresa. A corporação deve ter consciência de onde está, onde deseja chegar, em quanto tempo e quanto de investimento dispõe.  Estas são medidas necessárias para o desenvolvimento de um projeto de V.M. Não podemos esquecer que mudança de cultura leva tempo é preciso ter paciência, persistir, talvez o mais importante seja entender que as pessoas são peças chaves no processo.

04

Um profissional de V.M deve analisar relatórios de vendas e com base nisso desenvolver as ações fundamentadas com números e necessidades, rentabilizando a área de vendas, incentivando a venda por impulso e aumentando o valor do ticket médio.

05

O V.M utiliza da arquitetura, design, iluminação, cores, mobiliário, layout para ambientar e aclimatar o PDV, ele pensa antes para que o cliente não precise pensar, antecipando suas necessidades e despertando o desejo por compra.

Depois dos colaboradores, o produto, é nosso maior patrimônio, e é a matéria prima do V.M que deve colocar o produto ao alcance do consumidor no melhor ponto, com a exposição adequada, na quantidade certa, com tudo limpo, com equipamento abastecido e precificado. Tudo isto é muito importante para atender um cliente cada vez mais exigente.

O V.M encanta, seduz e, acima de tudo, VENDE!!!

*

Por  Nasser Salim Junior –  Professor do curso de Vitrine & Visual Merchandising da Sigbol Fashion

Referência: 1.

Materiais alternativos para a produção de vestuário

Se formos pensar, nem sempre a moda muda a sua base, que é a utilização de tecidos para a construção das suas roupas. Ás vezes vemos alguns desfiles usando roupas de papel Jum Nakao, ou então vemos nos desfiles de moda reciclável que tem suas peças desenvolvidas com jornal, sacos plásticos, copos descartáveis entre outros materiais recicláveis.

O que você acha de roupas produzidas com alimentos? Talvez vocês se lembrem do vestido de carne da Lady Gaga, que foi desenvolvido pelo artista e designer Franc Fernandez.

A jovem artista coreana Sung Yeonju desenvolveu a exposição “Weareble Foods” com diversos tipos de alimentos, tal como tomate, banana, repolho roxo, raiz de lótus, rabanete branco, cebolinhas e camarão. Para as pessoas que dirão que é desperdício de comida, podem ficar tranquilas, que em um dos vídeos do making of da produção mostra que não são feitos somente de comida, a grande base da roupa é a comida escaneada, impressa e recortada no formato. Então o desperdício foi reduzido!

1 a 4

*

Por Beatriz Rezende Ramos – Núcleo de criação

Referencias: 1 e 2.