Arquivo da tag: Cursos Profissionalizantes

Sabia que…

Foto 06Existe uma técnica em tons neutros que deixa o desenho estilizado muito legal? É a aplicação de tinta nanquim. Costumamos usar somente a caneta nanquim descartável com tinta preta, mas você sabia que ela também pode ser adquirida em potinhos (para uso com pincel), em diversas outras cores (incluindo branco, vermelho, dourado, prateado, etc) e em barra, para uso em pedras para caligrafia!

Foto 07A segunda forma mais comum de pintar croquis são as canetinhas hidrográficas. Apesar de precisarem ser usadas com cuidado, por conterem água, são ótimas para fazer misturas e criar cores aquareladas e delicadas! Também são ideais quando usados em papéis lisos, ou especiais para aquerela.

Foto 08E você nunca pensou que o carvão vegetal serviria também para… desenhar! Isso mesmo! O carvão cria nuances de preto e esfumaçados maravilhosos, tanto para croquis quanto para ilustrações! Ele está disponível para uso em bastões (indicamos para desenhos maiores, pois espalha com mais facilidade) e em lápis carvão. Nunca viu? A gente te mostra aqui:

Venha saber mais conosco!

*

Por Haranin Julia Maria , professora do núcleo de criação – Sigbol Fashion

Referências: Apostila Desenho de Moda.

Qual a função da cartela de cores?

A cor exerce uma atração psicológica no ser humano. Esta muito além de assumir apenas um papel decorativo ou estético, está ligada à expressão de valores sensuais e espirituais.  A cor pode ser utilizada de maneira simbólica ou como forma de estímulo visual, pois é o elemento que mais proporciona impacto e predomina numa imagem.

yu

Portanto, a utilização da cor não pode ser feita parcialmente numa coleção. É preciso encontrar uma linguagem específica por meio da qual, deve atingir os objetivos desejados junto ao público-alvo. A simples pesquisa das tendências atuais de moda não basta para definir a cartela de cores de uma coleção, pois é necessário levar em conta o público e suas particularidades, a personalidade da marca e o tema predominante na coleção.

Por exemplo, se o público for jovem a preferência predominante é por cores fortes, já que se trata de pessoas mais abertas a estímulos externos e mais propensos às influências da moda. Há uma reação corporal do jovem em relação às cores fortes, podendo ser este um fator decisivo no comportamento de compra. Pelas próprias exigências da idade e porque sabe que poderá substituir os objetos dentro de um prazo relativamente curto, ele se inclina ao uso de cores vivas.

jghj

Se o público for feminino essa tendência se acentua. Segundo pesquisas já realizadas, as mulheres são mais receptivas às mudanças. O que parece explicar a grande variedade de cores para esta estação.

Ao elaborar uma coleção, é sempre bom pesquisar quais cores estão em alta, para definir a cartela de cores. Geralmente se trabalha com oito cores, subdivididas em quatro tons frios e quatro quentes, podendo se acrescentar o preto e o branco, se este for o caso da coleção.

sds

As pessoas que trabalham com moda devem prestar muita atenção quando forem fazer combinação de cores, para que o resultado seja agradável. Porém, o número de cores também não é uma regra fixa, pois isso depende da proposta do estilista.

E ae, bora desenvolver uma coleção?

*

Por Paola Sanguin, professora do núcleo de criação – Sigbol Fashion

Referências: 1, 2, 3, 4, Apostila de Estilo e Manual Técnico Arte de Vestir.

Como surgiu o croqui de moda?

Segundo autores, é no século XVI que surgem as primeiras ilustrações de moda, quando as explorações e os descobrimentos provocaram fascinação por vestidos e pelos trajes de todas as nações do mundo. Os artistas participavam das grandes navegações, registrando o que era encontrado nos novos continentes conforme as descobertas. Porém, foram os trajes que roubaram a atenção do olhar dos artistas. Sendo esse o motivo de gravarem em suas viagens a indumentária de diversos povos e nações.

Foto 1

As ilustrações eram feitas pela técnica da xilogravura, onde se decalcava uma prancha de madeira com buril formando sulcos e deixando em relevo o formato do desenho desejado, em seguida, era passada a tinta em cima do relevo e pressionava-se essa prancha de madeira em um papel, o resultado final desse processo é a impressão de uma ilustração. Pela primeira vez foi possível ter uma obra ao “alcance de todos”, pois com uma única prancha de madeira era possível se obter várias impressões que eram vendidas a preços baixos, facilitando maior propagação da ilustração de moda.

Foi pela grande repercussão que tiveram essas ilustrações que muitos outros artistas passaram a viajar em busca de trajes para produzirem esse fenômeno, preservando a memória. Movidos pelo interesse despertado pelas novidades em terras novas e distantes, os artistas passam a viajar por países do continente europeu, bem mais próximos, em busca de vestes locais para fazerem o registro ilustrativo.

Hoje em dia, o desenho de moda possui vários tipos de técnicas. Como aquarela, decoupage, caneta permanente, desenho gráfico, entre outros.

paineltg

E aí, ficou com vontade de aprender a desenhar ou saber mais sobre história da moda?

Só ficar ligado aqui no blog!

*

Por Paola Sanguin, professora do núcleo de desenho da Sigbol Fashion.

Referências: 1, 2, Google Imagens.