Arquivo da tag: criação

‘OK, quero trabalhar com moda!’ – parte I

Muitas e muitas e infinitas vezes ouvimos esta mesma frase, aqui na escola e fora dela também. Quase tantas vezes quanto observamos pessoas um pouco perdidas, sem saber exatamente para onde seguir. Moda engloba tantas áreas que as coisas podem, as vezes, ficar meio confusas, não é? Por isso decidimos fazer uma série de posts, para te explicar o que exatamente cada área de criação precisa ter, e qual o curso certo pra você aqui na Sigbol!

profissoes-moda

Se você quer muito ser um estilista, mas não sabe desenhar nada além do boneco de palitinho e talvez uma casinha, o curso de Desenho de Moda Básico é seu início. Nele você vai aprender, primeiramente, como funciona a construção do corpo humano, de forma voltada para a moda, além de construção de caimento de tecidos, aula de análise e catalogação de tecidos e aviamentos, e tipos de trajes, tudo em grafite. Muitas vezes as pessoas nos questionam de porque precisam aprender a desenhar e entender caimento e movimento humano, se o que precisam desenhar é a roupa. Respondemos então: o corpo é a base onde sua roupa será carregada, por aí. Logo, se há um movimento fora de proporção, irreal, ou até mesmo, se a peça está fora do corpo, somente, o produto final pode ficar diferente do imaginado.

grafite 1

Este é o primeiro passo na escalada para se tornar um criador de moda. Para exemplificar melhor, segue abaixo um vídeo sobre o curso

Acha que encontrou sua vocação? Então corre pra cá e venha aprender com a gente!

*

Por Haranin Julia Maria, professora do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10 e 11

Ateliê de Criação

Olha só o que rolou no Ateliê de Criação ontem, turminha animada, empenhada, e concentrada…

galerinha

E a galera soltou a imaginação, e criou roupas incríveis para as bonequinhas, com diversas cores, amores e sabores. ♥

picstitch

Teve gente que até trouxe a mãe e o irmão pra botar a criatividade em ação.

moças

Não ficaram lindas as bonequinhas? Alguns até elaboraram acessórios e sapatos maravilhosos pra completar o look.

yo

E não parou por aí não,  observe a produção. Criatividade a todo o vapor e mãos à obra!

bonequinhas

Deixou até gostinho de quero maaaaais. *-*

fashion

E se você ficou de fora dessa, não chore. O ano só começou, terá muito mais pela frente. Fique ligado em todas as novidades aqui no blog e nas mídias socias. (^-^)v

Ateliê de Criação

Ateliê de Criação

Criar é antecipar. Assim, a função do designer é prever necessidades que ainda não foram atendidas, traduzindo a vontade de novas formas de viver, ou trazendo uma visão intuitiva dos rumos que irão seguir os padrões estéticos. Algumas vezes é o próprio designer que se torna responsável por esse novos rumos, mediante propostas inspiradas na sua sensibilidade estética.

Para ser um designer de moda é necessário ter estilo próprio, fazer pesquisas para criar novos conceitos, estar atento ao que acontece no mundo, conhecer novas culturas. Também desenhar, conhecer modelagem, costura, tecidos, tendências, tecnologia e principalmente seu público alvo.

Em nosso Ateliê de Criação, apresentaremos o quanto é importante o processo de desenvolvimento de um produto. Já que o sucesso de grandes criadores está vinculado à precisão do seu trabalho, profissionalismo e conhecimento da moda como um todo.

Curioso? Não perca tempo, se inscreva!

Creative Friday – Toy Art

20081222074752_large

Toy art, designer toys, urban vinyl, enfim… Existem vários termos que definem o conceito de “brinquedo de arte”.

O Toy Art não é feito para brincar, é dirigido para pessoas com idade adulta com o intuito de colecionar ou decorar o ambiente.  Ele é uma manifestação contemporânea que se apropria do brinquedo para mesclar design, moda e urbanidade, porém sempre terá edição limitada, numerada ou assinada, não sendo relançado – a não ser se for criada nova versão de grafismo. Seus temas derivam e podem ser meigos, violentos, subversivos, políticos, cômicos, criativos ou de linguagem urbana, underground, erótica, satírica, etc. O intuito do toy art é, como qualquer obra de arte, causar alguma reação no observador.

OIsQualquer material pode ser utilizado para se fazer um toy art. Os nacionais são geralmente de tecido ou plush, por serem de fácil manufatura e acesso. Já os importados costumam ser de vinil ou materiais plásticos, de processos bem mais caros e industriais. Existem também de madeira, metal, resina e até papel.

compras-liberdade-008Temos vários termos e tipos de toy art: o DIY (Do It Yourself ou “faça você mesmo”); os Customs (modificados por artistas para se obter um design único); Séries (uma linha de variações gráficas sobre um mesmo modelo); Blind Box (vêm em pequenas caixas lacradas, e quem compra não sabe o que tem dentro); Open Box (o comprador, nesse caso, já sabe o que tem dentro); Chases (unidades secretas de uma série); Ratio (a proporção em que você pode encontrá-lo).

Vamos conferir a série Sigbol Fashion?! ♥

Painel Toy Art

20141210_194834 CAM03284 image1 image2 image3 image4 image5 image6 image7 image8 toy art - Juliana Porto

Estilista, como vender seu trabalho?

Hoje quero falar com vocês, estilistas ou futuros estilistas. Quero dar umas dicas de como podem divulgar seus trabalhos.

Na profissão de estilista podemos trabalhar para uma marca ou grife famosa, criando suas coleções, podemos trabalhar para marcas menores também, como as confecções localizadas na região do Braz (Polo Moda) e Bom Retiro na criação das peças.

Mas também é possível trabalhar para mais de uma marca ao mesmo tempo. Isso seria um trabalho de freelancer. Você cria coleções distintas para marcas ou confecções diferentes.

E quero dividir com vocês um meio de divulgação dos meus trabalhos como estilista, mostrando uma maneira diferente de prestar esse serviço. Nesse ano, criei um site: I Love Fashion Virtual, que funciona por assinatura, onde crio uma coleção e coloco os modelos nesse site! Os modelos podem ser baixados e imprimidos pelas confecções na hora que quiserem e depois é só passar para o modelista reproduzir as peças.

13 053

Apenas assinando o site é que o cliente (confecções e marcas) tem acesso a esses modelos. É uma forma de vender meu trabalho via internet!

No site, o cliente encontra informações de Tendências, Cartela de Cores da Estação, Tecidos e Estampas que estarão em alta, a coleção (no caso verão 2015) e também coloco modelos usados nas Novelas e pelas principais Blogueiras.

61 62

Para você, jovem estilista que está começando agora, uma dica é criar um blog e colocar suas criações lá, para funcionar como um portfólio online mesmo. Isso facilita até mesmo para as marcas que querem contratar seus serviços!

Gostou da ideia? Então corra e monte o seu agora mesmo!!

#ficaadica

Por Andreah Muniz – professora de Personal Stylist da Sigbol Fashion

Referências: 1