Creative Friday – O Senhor dos Anéis

lotr_conquest_logo

A trilogia de livros de alta magia e fantasia, escrita pelo britânico J.R.R Tolkien, resolveu ser a inspiração dessa semana.

Criaturas mágicas como dragões, nazgûl, elfos, magos, orcs, anões, hobbits, entre outras, nos surpreendem ao decorrer da história.

Frodo-Baggins-Gif-The-Lord-Of-The-RingsTudo começa com os anéis do poder: 9 para os homens, 3 para os elfos e 7 para os anões. Cada anel define o destino da raça em questão. Mas existe um com maior influência: O PRECIOSO!

Este anel foi forjado pelo senhor das trevas, Sauron, na montanha da perdição, para controlar todos os outros anéis, possuindo sua força vital e de todas as regiões da Terra Média. Sauron usou tanto o anel que passou a não existir mais sem ele, o máximo de materialização que consegue é um olho.

tumblr_inline_mng3e21pzK1qecfy1O PRECIOSO, foi perdido e encontrado por Smeagol, que por causa dele, se tornou uma criatura Gollum. O anel tem vontade própria e quando quis, o abandonou. Um hobbit, chamado Bilbo também o encontrou e durante 70 anos guardou o anel, até que o deu a seu sobrinho Frodo. Após 17 anos de procura, o velho mago Gandalf, revela a Frodo que o anel que seu tio lhe dera era, na verdade, o instrumento de poder absoluto de Sauron, que o procura desde muito tempo. Então, Frodo deixa o Condado e começa uma jornada até Mordor, para poder, na Montanha da Perdição, destruí-lo.

10752768Frodo e os outros hobbits fizeram muitos amigos: os elfos, os anões, os homens e os Ents (que são árvores que falam, andam e lutam). Como toda boa ação, é claro que também são necessários os vilões da história: “o olho que tudo vê”, os Nazgûl e seus especiais meios de transporte os orcs, os guerreiros uruk-hai; Laracna, o mago Saruman, Balrog (um demônio do mundo antigo), os wargs, e o mais engraçadinho Smeagol.

giphyA vida de Frodo não foi nada fácil durante os 13 meses em que ele caminhou até Mordor para destruir o Anel. Ele o atira nas chamas da Montanha da Perdição, para o bem da Terra-Média. Sauron é definitivamente vencido e todos viveram felizes para sempre!

O senhor dos anÉis

Creative - Carol Creative - Ju Creative - Sorocaba eli ha ma me pa pri1 pri2 ta

tumblr_inline_mflww2Ivha1qloc6k

 

 

Você sabe o que são Patches?

Se pensou no Robin Williams no filme Patch Adams, quando leu o título do post, está na hora de rever seus conceitos colega! Patch é aquele bordadinho bacana que compramos pronto, com emblemas ou outros desenhos, para aplicar em qualquer roupa.

Acha feio? Acha brega? Acha indigno e ultrapassado? Precisa mesmo rever isso aí, gente! Os patches estão fazendo um sucessão acompanhando jaquetas e calças jeans e de couro, pelo mundo todo! Espia aqui com a gente…Montagem 1

E o melhor de tudo, pessoas, é que você pode aplicá-lo em casa mesmo, customizando sua jaqueta com seus emblemas favoritos, desde logos de bandas até os mais famosos e comuns, como o ROUTE 66, etc. Ficam fofos e coloridos, e adequados para usar no dia-a-dia: estão liberados para combinações com roupas de trabalho (desde que sua empresa adote estilo casual chic, deixemos claro),saltos, etc.Montagem 2

Muito cuidado, porém, se você tem mais de 25 aninhos: combiná-la a jeans, camiseta e tênis pode te deixar com vibe adolescente em excesso para algumas ocasiões, então prefira este combo mais pro fim de semana, ok?

E aí, animados para aplicar os seus? Não sabe fazer? Vem aprender isso e muito mais no nosso curso de Customização, e faça várias peças arrasa quarteirão com a gente!

*

Por Haranin Julia Maria, professora de Desenho do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8

John Galliano retorna às passarelas na Maison Martin Margiela

Quase quatro anos após sua demissão da Maison Dior, em 2011, depois de ter sido filmado fazendo declarações racistas e antissemitas, o estilista John Galliano retorna às passarelas. Nomeado em outubro do ano passado, Galliano assume o cargo permanente de diretor criativo da Maison Martin Margiela. Nestes últimos quatro anos o estilista não ficou totalmente afastado do cenário mundial. Poucos meses após ser banido da Dior, desenhou o vestido de casamento da modelo Kate Moss, sua grande amiga. Posteriormente, fez uma participação rápida na Oscar de la Renta. Os detalhes deste último trabalho não foram amplamente divulgados na mídia e suas aparições foram muito discretas. Porém, mostravam sinais de que seu retorno seria iminente.

foto 2Para a coleção de Spring 2015 da linha de alta costura da Maison Martin Margiela, intitulada Artisanal, Galliano escolheu a cidade de Londres e optou por desfilar ao final da temporada masculina de desfiles. A sala abrigava apenas seletos 150 convidados, entre eles a modelo Kate Moss, o CEO da Burberry, Christopher Bailey e apenas 3 fotógrafos credenciados.

Foto 3A contratação de John Galliano para a Maison Dior resultou na ascensão da marca no mercado, que estava à beira da falência. As fantásticas coleções teatrais, dramáticas e um pouco excêntricas contribuíram para reposicionar a Dior como uma marca de luxo desejada pelas pessoas.

Foto 1Galliano fez um desfile retrospectivo, mostrando criações que representam as identidades Martin Margiela. O estilo um tanto quanto grotesco, as desconstruções e assimetrias estavam lá, costuras aparentes, tules amarrotados, tecidos usados pelo avesso, o rosto das modelos coberto por máscaras. Enfim, ninguém esperava menos do que isso ou muito diferente. Porém, havia beleza o suficiente para suprir as expectativas dos fãs do estilista. Ao invés do bizarro, Galliano mostra que Margiela também é sinônimo de minimalismo e sofisticação. Como não se emocionar com o final do desfile, a alfaiataria impecável, o estilo andrógino tomando forma na passarela, o blazer zebrado e os três lindíssimos vestidos minimalistas vermelhos ao final do show. “He is back” e seu novo lar chama-se Martin Margiela!

*

Por Danilo Centemero, professor de Visual Mershandisig e VM do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Creative Friday – O Labirinto (A Magia do Tempo)

divando

O filme traz um mundo de fantasia e maravilha. Porém, o filme ficou famoso na época por causa de um músico que interpretava um dos personagens, o cantor David Bowie. Já era de se esperar a aventura garantida.

labirintoA história começa com uma jovem chamada Sarah, que gosta de peças teatrais, em especial as de fantasia. Frustrada por ter de cuidar do irmão caçula enquanto seus pais estão fora, ela sonha em se “livrar” da criança, que não para de chorar. Atendendo seu pedido, o Rei dos Duendes, Jareth, personagem de um dos livros que Sarah adorava ler, ganha vida e sequestra o bebê. Arrependida, a menina terá de enfrentar um labirinto e resgatar o irmão antes da meia-noite para evitar que ele seja transformado em um duende.

O final do filme só assistindo pra saber. Enquanto isso, a gente deixa um gostinho de quero mais pra vocês:

O Labirintopa

ta pri me eli creative friday - Juliana Porto carol Campinas

Trabalhando com coolhunting, comportamento e consumo.

A cada temporada, enquanto centenas de coleções são desfiladas entre Nova Iorque, Londres, Milão, Paris e São Paulo – Rio, o que mais se discute é: em quais tendências apresentadas pelas maiores marcas de moda devemos apostar? O que vai sair das passarelas e dar a cara da estação pelas ruas? Desse jeito, só pela observação dos desfiles, pode ser mesmo uma aposta arriscada, pois a compreensão das tendências é mais abrangente e envolve todos os aspectos culturais que vão além da moda. E é para ajudar na compreensão das tendências que existem os profissionais do consumo – os coolhunters e pesquisadores, especializados em antecipar o que ainda será moda e dar forma ao futuro.

A pesquisadora Laiza Martins teve a primeira experiência com os estudos do consumo quando ainda estava na graduação: “Acho que descobri que trabalharia nessa área quando tinha apenas 19 anos e ainda estudava Letras na minha cidade natal, no interior do estado do Rio de Janeiro. Minha professora de sociologia tinha pedido para analisar um dos bairros da cidade (sua história, sua essência, seus valores, até mesmo suas patologias sociais)”. O encantamento com as descobertas desse primeiro contato, que proporcionou um conhecimento profundo através das próprias pessoas e seu território, despertou a paixão em conhecer cada vez mais a essência dos lugares.

LaizaMartins

Em sua atuação profissional junto ao Future Concept Lab (empresa italiana, com sede em São Paulo, especializada em pesquisa de mercado e tendências de consumo, no qual a observação dos comportamentos suporta a consultoria estratégica para a inovação), descreve o contínuo interesse em manter-se informado sobre tudo que acontece no mundo como essencial para o profissional, que dever estar “sempre observando e monitorando a sociedade, os comportamentos, os valores, os territórios (reais e virtuais), os setores, os mercados, o indivíduo, o velho, o novo…”.

Esse conhecimento aplicado ao desenvolvimento de uma coleção de jeans resultou em premiação. “A pesquisa de comportamento e a técnica de coolhunting foram ferramentas essenciais do meu processo projetual na busca por inovação industrial na área têxtil.
Por meio da observação das expressões do modo de vestir peças em jeans e de aplicação de design thinking, alcancei uma linguagem moderna e contemporânea para minha coleção final de jeanswear e fui premiada pelo melhor projeto de inovação científica e tecnológica do Estado do Rio de Janeiro em 2008.”

A competência para articular as informações de moda vindas das passarelas aos conhecimentos sobre a cultura local do mercado atendido e a realidade das pessoas que vão vestir as roupas exige estudo e concentração, mas é um diferencial para exercer qualquer função no mercado de moda. Com a velocidade da comunicação (intensificada pelas redes sociais e blogs) e da produção (no modelo fast-fashion de empresas como Zara e C&A), estar seguro sobre o look que as pessoas desejarão na próxima estação é uma tarefa que exige gosto pela moda, mas também técnicas de pesquisa e análise que envolvem as mais diversas áreas.

“Por isso, o consumidor irá adquirir cada vez mais poder nas dinâmicas do mercado (inclusive da moda) exigindo produtos belos, atraentes, mas também éticos e sustentáveis. Além disso, as empresas deverão ser transparentes nos processos de produção, verdadeiras na comunicação, interativas com o usuário em um constante relacionamento baseado na credibilidade, lealdade e participação e propor padrões de intensidade de experiência com a marca”.

imagem 2 overview_uniqueness

A ideia da moda como uma “ditadura” pertence ao passado. Estamos em uma época em que o público tem uma diversidade nunca antes vista de opções de produtos, marcas e estilos, além de canais para expressar suas opiniões positivas ou negativas ao que a moda propõe. “O consumo é parte de uma experiência humana e não o contrário. Estar em sintonia fina com a vida real das pessoas deve ser uma prioridade para tomadores de decisões, para marcas e designers”. E então, pronto para conhecer de perto o seu consumidor?

Laiza Martins tem 32 anos, é formada em Letras, design de moda e marketing estratégico, com mestrado em Milão e foi integrante do Milan Network for Design em 2010, tem 8 anos de experiência em pesquisa de tendências. Atuou com coolhunting, análise e pesquisa para o Future Concept Lab Itália e, em 2010, tornou-se Pesquisadora de Comportamento e Consumo do FCL do Brasil, fazendo parte de projetos ad hoc solicitados por empresas nacionais e internacionais.

*

Por Priscila Carvalho – Comportamento do Consumidor

Referências: 1, 2, 3, 4