GOLPE (DE ESTILO) POLÍTICO – A MODA COMO VOZ E FERRAMENTA DE PROTESTO E IGUALDADE.

A luta árdua e diária pela igualdade de gêneros vem sendo batalhada desde a Antiguidade Clássica e como consequência todas as mulheres que tentaram erguer suas vozes e bandeiras durante esse período já que as mesmas era submetidas a submissão e obediência patriarcal somente pelo fato de serem mulheres foram queimadas, decapitadas e torturadas.1

No começo do século XIX, as sufragistas, movimento feminista de mulheres que iam à luta pelo direito do voto, surgem reivindicando a igualdade de direitos e deveres entre homens e mulheres, trazendo-lhes também a cidadania que lhes era proibida por lei.

Como todo prego que se ressalta é martelado, muitas mulheres foram agredidas em suas passeatas, além de serem atingidas por propagandas preconceituosas, cartoons que zombavam de suas aparências e vestimentas, muitas vezes chamando-as de lésbicas, feias e mal-amadas por usarem e reivindicarem o direito de calças e roupas mais confortáveis até então.

2

Com tal manifestação da oposição masculina, as mulheres da geração seguinte, para não serem mais julgadas e espancadas pela sua imagem, aparência e roupas masculinizadas, usaram a moda e elegância feminina “apropriada” da época como voz política. Tal elegância e feminilidade trazia o significado da luta em suas cores (verde/green, branco/white e violeta/violet) fazendo analogia ao nome do movimento (Give Women Votes), usavam-nos em joias, broches e faixas para conhecerem-se nas ruas.34

Em 1912 o movimento sufrágio britânico adotou a violência como forma de visibilidade, partindo do preceito de que a guerra é a única linguagem que o homem realmente conhece. Tal feito hospitalizou mais de mil mulheres, e levou outras milhares a serem torturadas em cárcere privado sob escolta do governo.5 6 7

Com o estopim da I Guerra Mundial muitos homens foram convocados aos campos de batalha, enquanto as mulheres os substituíam no mercado de trabalho, uma fresta de direitos em meio ao caos dos deveres.8

E em breve chega aos cinemas o filme “Suffragette” que contará a história do movimento sufragista estadunidense e britânico estrelado por Meryl Streep, Carey Mulligan e Helena Bonham Carter. Fiquemos atentos ao conteúdo, fatos e figurino!9

 

*

Por Mayara Behlau, professora do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion

Referências: 1, 2 e Apostila História da Moda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s