Gestão em Moda

Criar produtos de moda é um desafio para qualquer profissional. A maioria, geralmente esquece de pensar no produto como um sistema, em um processo que vai desde a pesquisa até o pós-venda.

Normalmente as empresas, costumam atentar mais ao lado comercial e econômico do que a exploração e o desenvolvimento de valores intangíveis em seus produtos e sua marca. O que pode acabar gerando prejuízo.

A gestão de design propõe, dentre muitas outras ações, a elaboração de um método que esteja estritamente alinhado com os objetivos da empresa, direcionando os esforços para uma meta em comum e, assim, somando forças.

É importante pensar em equipe, e lembrar que o processo é como uma engrenagem, na qual o trabalho de um interfere diretamente no trabalho do outro, e que todos os envolvidos tornam-se completamente responsáveis pelos resultados.

Em nosso curso de estilo, você aprende todas as engrenagens necessárias para o processo de criação. Conheça nosso curso no vídeo abaixo:

*

Por Paola Sanguin, professora do núcleo de criação da Sigbol Fashion

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7.

A moda e a arte se misturam

A arte se fez presente na moda desde os anos 30, quando Elsa Schiaparelli resolveu inovar fazendo uma parceria com salvador Dali, onde desenvolveu uma estampa maravilhosa de uma lagosta em um vestido branco. Dai em diante outros criadores começaram a usar a arte como mais uma referência de criação.

Foi o que aconteceu no SPFW44, a marca Osklen desenvolveu uma coleção inspirada na artista plástica Tarsila do Amaral. Em cada look sua obra está presente, sendo representada em estampas que vão de rabiscos a ilustrações

Suas peças parecem quadros em movimento, com modelagens desestruturadas e assimétrica os tecidos fluidos deixam o look leve.

Os acessórios do desfile também carregam o toque Tarsila do Amaral.

As cores vibrantes nas obras também marcaram presença na coleção.

*
Por Elizangela Gomes, professora do Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 12, 13, 14, 15 e 16

Visual Merchandising e Vitrine

O Visual Merchandising e a Vitrine causam um grande impacto no faturamento das lojas, claro que também é necessário investir para atrair olhares dos clientes.  Um breve passeio pelos corredores dos shoppings de luxo da capital pode ser uma experiência de encher os olhos. Os produtos se misturam a instalação como obras de arte.

Pensando nesta etapa, nossos alunos, desenharam alguns projetos de vitrines extraordinárias.  Confira:

Moda Abstrata

No último SPFW 44 umas das apostas foram as estampas abstratas, os criadores brincaram e desenvolveram várias possibilidades na hora de usar o abstrato, cores forte coordenada com as cores neutras.

Esta estampa aparecem em peças em modelagens fluidas ou estruturadas.

*

Por Elizangela Gomes, professora do núcleo de criação da Sigbol Fashion

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, e 9

 

Tarsila na passarela

Quem achou que se tratava da pintora brasileira Tarsila do Amaral acertou em cheio. Mas uma vez, a arte e a moda se juntam para criar um festival de cores e formas inspirados nas belas obras da artista. Como a obra “Abaporu” um dos ícones do modernismo brasileiro.

Dessa vez, os quadros transformam-se em peças fluidas e acessórios da coleção capsula da Osklen.O empresário e artista Oskar Metsavaht brinca ainda com o formato e as cores de uma tela em branco, surpreendendo pela escolha e dando assim um ar minimalista a coleção.

A coleção é um desdobramento de uma mostra que terá como tema a artista em fevereiro de 2018. A exposição intitulada como “Tarsila do Amaral: Inventando a Arte moderna no Brasil” começara em Chigaco onde permanecerá de outubro 2017 até janeiro antes de ir para o MoMA em Nova York.

Lembrando que é uma grande oportunidade para o cenário brasileiro das artes já que é a primeira exposição na América do Norte dedicada totalmente a artista que era uma mulher muito à frente do seu tempo e foi uma das principais figuras da arte moderna do Brasil, tendo contato diretamente com grandes artistas como Pablo Picasso e Fernand Léger.

*

Por Karine Holzmann, professora do Núcleo de Criação Sigbol Fashion

Referências: 1, 2 e