Louboutin apresenta: O luxo dos materiais de descarte

O tema sustentabilidade ainda está em alta no mundo fashion, e para provar que as discussões vem gerando grandes mudanças e repercussão global a marca Christian Louboutin acaba de lançar a nova coleção de inverno 2018 que resgata materiais usados no processo de criação do ateliê.

A coleção “Loubi in Progress” conta com sapatos, bolsas e carteiras lindíssimas feitos com nada menos que plástico, fita métrica, papel kraft entre outros materiais, que em vez de ficarem “escondidos” dentro dos acessórios ganham protagonismo nas peças.

O interessante nessa inciativa é refletirmos que o luxo não necessariamente precisa estar ligado a matéria-prima, afinal quem recusaria um Louboutin mesmo feito com materiais descartáveis?

*

Por Karine Holzmann, professora do Núcleo de Criação Sigbol Fashion

Referências: 1

 

Customização

Muito se fala de customização hoje em dia, é um mercado que vem crescendo cada vez mais entre a população.

Segundo o IBGE 45% da população trabalha informalmente, e 8,5 milhões vivem do artesanato e da customização e 50 bilhões de reais são movimentados atualmente por esses profissionais.

O mercado de customização impulsiona varios setores da economia do país , um exemplo disso é o comercio de varejo e atacado da rua 25 de março.

Esse mercado vem tendo cada vez mais procura tanto por profissionais que atuem no ramo quanto por eventos que apresentem novidades para o publico interessado nesse mercado.
Um exemplo de evento que trata do assunto é a Mega Artesanal que acontece anualmente reunindo profissionais e interessados no assunto.

No Curso de Customização da Sigbol Fashion você aprende técnicas de bordados que você pode usar tanto para customizar roupas quanto para fazer artesanato, além de outras técnicas de customização que a escola oferece para que você se torne um profissional cada vez mais qualificado e para que seu trabalho fique mais rico, e automaticamente a demanda do publico pelo seu trabalho irá aumentar.

Por Alan Prates, professor no Núcleo de Criação da Sigbol Fashion.

Copa do mundo e sustentabilidade fashion

A princípio o título parece estranho, afinal o que sustentabilidade fashion tem a ver com futebol? E quer saber? Tudo! A marca PangeA prova que é possível trazer o simbolismo do jogo para as ruas de maneira sustentável, com nada menos do que bolas de futebol reutilizadas.

A coleção que é um verdadeiro exemplo de sustentabilidade ambiental,  é composta de bolsas, mala de viagem, suspensórios, cinto entre outros. As peças são feitas a mão, dispensando o uso de máquinas de costura,  e valorizam o desgaste original das bolas. É um trabalho minucioso, com a criação de bolsas que podem levar 1520 pontos ou mais para serem concluídas, isso sem levar em conta todo o processo de limpeza, colorização e desconstrução da matéria-prima coletada nos campos de futebol antes da fabricação das peças.

O design único confere um ar retrô aos acessórios em plena euforia da copa . A única pergunta que fica é você usaria uma bolsa “upcycling” para entrar no clima do maior evento de futebol do mundo?

*

Por Karine Holzmann, professora do Núcleo de Criação Sigbol Fashion

Referência: 1 e 2

Creative Friday – Copa do Mundo

Mesmo quem não é tão fã de futebol se anima com a Copa do Mundo. Chega nessa época e nós amamos fazer bolão, marcar um bar com os amigos e rir dos memes depois dos jogos! Você veste a camisa, torce para o seu time favorito, ri, chora se emociona e principalmente fica pistola e grita: GOOOOOOOOOOLLL!

Então nossos alunos aproveitaram o intervalo para o segundo tempo e se inspiraram nos países e nas cores da bandeira pra você entrar no clima.

 

 

 

A Moda e Copa do mundo.

Como todos sabemos este ano de 2018 é ano de copa do mundo, e para ajudar nossa seleção a iniciar os trabalhos com vontade, garra e elegância, o estilista Ricardo Almeida foi convidado para desenvolver o conjunto de calças e blazers que nossa delegação irá usar no dia do embarque para Rússia.

Ricardo disse que esse era um desafio que ele precisava na carreira, e imaginem só como não foi desafiante vestir a seleção e tentar aliviar aquele ar dos 7 x 1.

“Eu sempre quis fazer um trabalho como este porque representa o símbolo de uma nação. E eu acredito que nossa seleção precisava investir em elegância e estilo ao mesmo tempo. Era necessário recuperar a tradição quando pensamos em futebol brasileiro vestindo costumes. E, para mim, é um prazer fazer parte deste momento especial “, disse o estilista ao Fashion Network.

A roupa é feita em 100% lã fria, cor monocromática de royal com preto que visualmente cria um tom marinho com efeito changeant, conforme seu olhar muda a cor do tecido também se altera.

“Não é só um azul marinho. É um azul marinho particular e pensado para este momento tão especial”, define Ricardo.

Quanto a modelagem Ricardo valorizou a pegada esportiva mas levando a todos para o universo da alfaiataria, um shape mais justo que evidencia o porte atlético de cada um, toda a confecção das peças serão feitas na própria fábrica de Ricardo, que inclusive fez o projeto dos sapatos e também os confeccionou em sua fábrica em Franca.

Isto certamente é uma forma de se tornar imortalizado dentro da costura, pois todos os olhos do mundo estarão vendo sua criação. Para encerarmos e mantermos a curiosidade um dois detalhes mais particulares da peça é o forro, sim a parte de dentro que o estilista carinhosamente criou especialmente para homenagear todas as conquistas, com as taças e os anos em que a seleção brasileira foi campeã em sua trajetória de sucesso.

*
Por Andreia de Araújo Peixoto
Referências: 1 e 2